fbpx

Ações de prefeitos e governadores sacrificam a população, aponta Max Cardoso



O jornalista Max Cardoso, durante o Boletim da Manhã desta sexta-feira (30), comentou sobe as recentes ações autoritárias de prefeitos e governadores. Segundo o jornalista, algumas autoridades estaduais e municipais vêm sacrificando a população brasileira com o único intuito de fazer política e derrubar o presidente da República, Jair Bolsonaro.

“Estamos vendo a nova estratégia, que é a CPI da Covid, para criar todas aquelas narrativas, não vão investigar o que deveria ser investigado, já pegaram o compartilhamento de ‘provas’ da CPMI das Fake News, trazendo para a CPI da Covid. E por quê? É o mesmo objetivo da anterior, derrubar o presidente, conseguir fornecer material para gerar dali um impeachment. É isso que estamos vendo, e não é difícil perceber, basta ver quem está comandando essa CPI, Renan Calheiros, toda essa galera da velha política”, apontou o jornalista.

“A maior vítima nessa história toda é a população. Veja, o que está acontecendo hoje no Brasil? Existe uma guerra política clara, você está vendo aí a união de um monte de gente que sempre foi unida nos bastidores e agora está precisando se unir às claras para tentar derrubar o presidente, é uma guerra política. PT, PSDB, PDT, todo esse pessoal se unindo para derrubar o presidente Bolsonaro”, acrescentou Max Cardoso.

Segundo o jornalista, os políticos, sobretudo do PT e PSDB, considerados da velha política, possuem apenas a preocupação eleitoral, “não têm preocupação com saúde, não têm preocupação humanitária, não têm preocupação social, com segurança, nada disso. Eles só querem evitar que o adversário político deles vença e garantir a própria vitória na eleição seguinte, e o Brasil há décadas vive nesse sistema, é uma máquina de triturar a população.”

Max Cardoso ressaltou ainda a importância do fator Bolsonaro para quebrar um sistema de décadas de corrupção vigente no Brasil, considerando-o como “um ponto fora da curva” inesperado pela articulação PT-PSDB. 

“Quando o Bolsonaro entra, ele começa a colocar pessoas em seus ministérios que eram tecnicamente capacitadas e quebrou outro esquema antigo, que era usar os cargos do Executivo para fazer aquelas articulações políticas. Antes não importava muito se o indivíduo era capacitado ou não, ‘é porque eu devo um favor a ele’, e como Bolsonaro não devia favor a ninguém, pois ele foi o responsável por sua própria eleição, então ele conseguiu colocar um ministério técnico de fato, um grupo que realmente conseguisse cumprir bem aquela função”, pontuou o jornalista. “A questão é que o Bolsonaro atrapalhou essa engrenagem que já funcionava no Brasil há décadas, então, é óbvio que eles estão desesperados para tirar o Bolsonaro.”

O jornalista também aponta que a pandemia deu um respiro para os corruptos, “porque eles foram capazes de fazer novos esquemas, novos desvios”, porém isso não irá durar para sempre.

“Isso aí deu um respiro para esse pessoal do ‘esquema da velha política’. Só que eles sabem que a história da pandemia eles não vão conseguir levar ad aeternum, uma hora isso terá que acabar e aí? E aí que o problema para eles continua, porque o Bolsonaro ainda vai estar lá, atrapalhando os esquemas, então, eles querem de qualquer maneira derrubar. E agora você está vendo o poder que possui essa máquina que há décadas está aí e agora tenta derrubar o governo”, concluiu o jornalista Max Cardoso.

Assista aos comentários da notícia:

Sobre o Colunista

Brehnno Galgane

Graduando em Filosofia pela PUC-Rio, Católico e cultivador de uma narrativa que tenha sentido segundo a forma humana.

Comente

Clique aqui para comentar

Colunistas

avatar for Juliana GurgelJuliana Gurgel

Católica, produtora, doutora em artes da cena, professora e aikidoista.

avatar for Paulo FernandoPaulo Fernando

Advogado, professor de Direito Constitucional e Eleitoral para concu...

avatar for Polibio BragaPolibio Braga

Políbio Braga é um jornalista e escritor brasileiro. Nascido em S...

Achou algum erro na matéria? Nos informe através do formulário abaixo: