fbpx

Após Itamaraty, Mourão também critica resposta da China a Eduardo Bolsonaro

general mourão 1


Após o deputado federal Eduardo Bolsonaro afirmar que a China utiliza a tecnologia 5G para espionar outras nações e a China responder que o filho do presidente “abalou” a relação entre os dois países com declarações “infames”, o vice-presidente da República, Hamilton Mourão, comentou o caso, dizendo que a embaixada da China no Brasil agiu errado.

Diplomaticamente, a China não deveria usar as redes sociais para rebater uma postagem do deputado Eduardo Bolsonaro, defendeu Mourão.

“Eu acho que, diplomaticamente, está errado isso aí. É a segunda vez que o embaixador chinês reage dessa forma. Dentro das convenções da diplomacia, o camarada se sentindo incomodado com qualquer coisa que tenha ocorrido no país, ou ele escreve uma carta para o ministro de Relações Exteriores ou ele vai ao Itamaraty e apresenta suas ponderações. E não via rede social, porque aí vira um carnaval esse negócio”, disse Mourão.

O Ministério das Relações Exteriores, em nota enviada à Embaixada da China na quarta-feira (25/11), já tinha se manifestado sobre o caso, dizendo que a resposta da China a Eduardo Bolsonaro é “ofensiva”. Mourão se uniu à declaração do Itamaraty.

Sobre o Colunista

Brehnno Galgane

Brehnno Galgane

Graduando em Filosofia pela PUC-Rio, Católico e cultivador de uma narrativa que tenha sentido segundo a forma humana.

1 Comentário

Clique aqui para comentar

  • Eu espero um rompimento total do Brasil /China. Começando por retirar as condições de empresas laranjas que estão comprando o Brasil literalmente. Como terras, distribuidores de energia elétrica é assim vai. O boicote deve ser de dentro pra fora.

Colunistas

Juliana GurgelJuliana Gurgel

Católica, produtora, doutora em artes da cena, professora e aikidoista.

Paulo FernandoPaulo Fernando

Advogado, professor de Direito Constitucional e Eleitoral para concu...

Polibio BragaPolibio Braga

Políbio Braga é um jornalista e escritor brasileiro. Nascido em S...