fbpx

Assessor anticorrupção do PCCh é expulso sob acusações de ‘deslealdade e desonestidade ao Partido’



Dong Hong, que servia ao vice-presidente da China, Wang Qishan, como um assessor de confiança, foi expulso do Partido Comunista da China (PCCh) no último dia 12 de abril. O então assessor passará a ser investigado por “deslealdade e desonestidade ao Partido”.

Dong, que era considerado um funcionário de confiança e ajudou ativamente no início do governo de Xi Jinping, com uma campanha anticorrupção, também chegou a ganhar a reputação de o Czar anticorrupção por sua vontade de ferro.

Segundo o comentarista de uma mídia estatal chinesa, Jiang Senzhe, “deslealdade e desonestidade ao Partido” é a acusação mais dura contra qualquer membro do Partido, mais pesada do que qualquer outra acusação de corrupção ou personagem.

Conforme noticiou a Epoch Times, o crítico Yue Shan considerou a queda de Dong como o resultado de uma luta entre o presidente da China, Xi Jinping, e o vice-presidente, Wang Qishan. O crítico observou ainda que o PCCh tem duas tradições: juramento de lealdade e brigas internas.

Colunistas

avatar for Juliana GurgelJuliana Gurgel

Católica, produtora, doutora em artes da cena, professora e aikidoista.

avatar for Paulo FernandoPaulo Fernando

Advogado, professor de Direito Constitucional e Eleitoral para concu...

avatar for Polibio BragaPolibio Braga

Políbio Braga é um jornalista e escritor brasileiro. Nascido em S...

Achou algum erro na matéria? Nos informe através do formulário abaixo: