fbpx

Autoritarismo: Zema decreta lockdown em todo o estado de Minas Gerais

Gil Leonardi / Imprensa MG


Após inventar a “onda roxa” e decretar lockdown em 60 cidades de Minas Gerais, o governador Romeu Zema (NOVO) decidiu nesta segunda-feira (15) fechar todo o estado.

A decisão de “estender a onda roxa”, segundo o governador, foi tomada após “ouvir os especialistas em saúde e o comitê de enfrentamento à Covid-19, sobre a necessidade de adotar medidas mais restritivas e obrigatórias.”

Conforme o Terça Livre adiantou, Zema já havia ameaçado decretar as medidas autoritárias em todas as cidades do estado.

“As filas nos hospitais só têm aumentado. Sabemos que a solução definitiva para esse cenário é a vacinação. Ela está mais rápida, mas ainda é insuficiente para garantir a queda na busca por atendimento médico. Por isso, não nos resta opção a não ser adotar medidas mais restritivas. É uma questão humanitária, para não assistirmos cenas de horror”, disse Zema aos prefeitos em uma reunião ontem.

De acordo com a assessoria de comunicação do Governo de MG, os prefeitos que participaram da reunião concordaram com a medida do governador.

Também participou da reunião o comandante-geral da Polícia Militar de Minas Gerais, o coronel Rodrigo Rodrigues, que declarou que a corporação vai atuar de forma “ainda mais integrada” com as Guardas Municipais das cidades mineiras, para fazer com que a população obedeça às recomendações previstas para a onda roxa de Romeu Zema.

“Vamos reforçar os nossos turnos, principalmente nos horários de 15h às 23h e 23h até as 6h, para evitar a circulação. Onde não há guardas municipais, a própria Polícia Militar está sendo orientada para dar esse apoio aos municípios. Principalmente em relação a aglomerações em sítios, pessoas fazendo churrasco. Vamos atuar efetivamente, como foi feito durante o Carnaval”, disse Rodrigues.

As medidas que passarão a valer a partir da quarta-feira (17) serão as mesmas já decretadas no último dia 04 de março.

Entre as regras do governador estão a proibição de circulação de pessoas sem o uso de máscara, em qualquer espaço público ou de uso coletivo, ainda que privado; a proibição de circulação de pessoas com sintomas gripais, exceto para a realização ou acompanhamento de consultas ou realização de exames médico-hospitalares; a proibição de realização de reuniões presenciais, inclusive de pessoas da mesma família que não coabitam.

Além disso, serviços considerados “não essenciais” por Romeu Zema e seu “Comitê Extraordinário Covid-19” não poderão funcionar e os cidadãos serão obrigados a obedecer ao toque de recolher das 20h às 5h e 24h aos finais de semana.

As medidas autoritárias fazem parte do programa “Minas Consciente” do governo estadual de Minas Gerais.

Com informações: Agência Minas.

Colunistas

avatar for Juliana GurgelJuliana Gurgel

Católica, produtora, doutora em artes da cena, professora e aikidoista.

avatar for Paulo FernandoPaulo Fernando

Advogado, professor de Direito Constitucional e Eleitoral para concu...

avatar for Polibio BragaPolibio Braga

Políbio Braga é um jornalista e escritor brasileiro. Nascido em S...

Achou algum erro na matéria? Nos informe através do formulário abaixo: