fbpx

Brasil mobiliza tropas e artilharia em direção à fronteira com Venezuela

Exército


De acordo com o Diario de Las Américas, jornal de língua espanhola fundado na Flórida (EUA), o Exército Brasileiro estaria realizando uma mobilização de tropas e sistemas de lançamento de foguetes em direção à fronteira amazônica com a Venezuela.

Há duas semanas, equipamentos do lança foguetes “Astros 2022” foram enviados até Manaus. “Astros” é um sistema de foguetes construído no Brasil, capaz de alcançar alvos até 300 quilômetros. Um competidor do sistema russo BM-30 Smerch operado por militares venezuelanos.

Centenas de soldados serão fornecidos pela Brigada de Infantaria de Selva com sede em Marabá, no Pará, para a “Operação Amazônia”.

No país vizinho, há quase dois meses que a ditadura venezuelana convocou eleições gerais ao Parlamento para dezembro deste ano. Liderados pelo presidente da Assembleia Nacional, Juan Guaidó – que reivindicou a presidência da nação em 2019 com o apoio de quase 50 países, entre eles os Estados Unidos e o Brasil – os principais partidos de oposição anunciaram que boicotarão o processo eleitoral, pois não passa de uma “farsa”.

O Tribunal Supremo de Justiça (TSJ), de orientação chavista, recebeu a notícia dos opositores como um desacato e “omissão” por parte dos deputados. Uma ex-funcionária do TSJ disse que “86 partidos participarão das eleições apesar do boicote da oposição”.

O Conselho Nacional Eleitoral da Venezuela anunciou que nas eleições parlamentares de dezembro terão mais assentos no Legislativo: de 167 deputados a 277, o que representa um aumento de 66%.

O jornal Diario de Las Américas ainda informa que Jorge Arreaza, chanceler da ditadura venezuelana, enviou uma carta de Nicolás Maduro à União Européia, com a proposta de adiar as eleições se uma comitiva do velho continente enviasse uma delegação para acompanhar o processo eleitoral.

Josep Borrell, representante da União Europeia, disse que não pretende enviar um “acompanhamento internacional”, pois a nação chavista não tem “condições mínimas de credibilidade e transparência no processo eleitoral”.

Com informações, Senso Incomum

Assista aos comentários da notícia:

Sobre o Colunista

Brehnno Galgane

Brehnno Galgane

Graduando em Filosofia pela PUC-Rio, Católico e cultivador de uma narrativa que tenha sentido segundo a forma humana.

Comente

Clique aqui para comentar

Colunistas

Juliana GurgelJuliana Gurgel

Católica, produtora, doutora em artes da cena, professora e aikidoista.

Paulo FernandoPaulo Fernando

Advogado, professor de Direito Constitucional e Eleitoral para concu...

Polibio BragaPolibio Braga

Políbio Braga é um jornalista e escritor brasileiro. Nascido em S...