fbpx

Butantan: Anvisa autoriza importação de insumos para vacina chinesa



A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) autorizou nesta quarta-feira (28/10) a importação, em caráter excepcional, da vacina na forma de um produto intermediário, isto é, produto não envasado, fabricada pela empresa Sinovac.

A solicitação foi feita pelo Instituto Butantan para importação da matéria-prima para fabricação da vacina adsorvida Covid-19 (inativa), em estudo ‘clínico fase III’, ainda sem registro no Brasil. Os estudos ainda estão em andamento e não existe previsão de data para a vacinação.

O tema foi discutido em circuito deliberativo, entre esta terça-feira (27/10) e quarta-feira (28/10). O circuito deliberativo é uma instância de votação on-line dos diretores da Agência.

A autorização definiu algumas condições para a importação excepcional.

Em entrevista à CNN, o diretor-geral da Anvisa disse que a autorização dada hoje refere-se apenas a matéria-prima que será utilizada na produção vacinal e não contempla vacinas já prontas.

Na última sexta-feira, 23, a importação de 6 milhões de doses da vacina contra a Covid-19 produzida pela Sinovac, a Coronavac. O pedido foi feito pelo Instituto Butantan, em São Paulo, como parte do contrato com a empresa chinesa.

Colunistas

Juliana GurgelJuliana Gurgel

Católica, produtora, doutora em artes da cena, professora e aikidoista.

Paulo FernandoPaulo Fernando

Advogado, professor de Direito Constitucional e Eleitoral para concu...

Polibio BragaPolibio Braga

Políbio Braga é um jornalista e escritor brasileiro. Nascido em S...