fbpx

Câmara da França aprova assassinato de bebês no ventre materno até o 9º mês



A Assembleia Nacional Francesa aprovou uma série de emendas à lei de bioética do país, entre elas, uma que legaliza o aborto sob demanda até o nascimento do bebê.

Por 60 votos a favor e 37 contra, os legisladores concordaram em permitir o assassinato de bebês a qualquer momento para uma mãe considerada em “sofrimento psicossocial”, um termo que permite aos profissionais de saúde total liberdade para aprovar o procedimento.

A lei francesa distingue entre l’Interruption volontaire de grossesse (aborto voluntário), que deve ocorrer o mais tardar na décima segunda semana de gravidez,e l’interruption médicale de grossesse (aborto médico), que pode ser realizado sem restrições até o nascimento.

Atualmente, os abortos tardios requerem aprovação médica limitada a casos de malformação grave do feto ou quando uma gravidez coloca a vida da mãe em perigo, mas a nova lei iria expandir esta segunda forma de aborto para incluir os casos em que a mãe sofre de “sofrimento psicossocial”.

O grupo pró-vida francês Alliance Vita contestou a decisão e destacou que “sofrimento psicossocial” não é um critério verificável, já que dá margem para que mulheres façam um aborto medicamentoso por qualquer motivo.

 Com informações, Breitbart

Colunistas

Juliana GurgelJuliana Gurgel

Católica, produtora, doutora em artes da cena, professora e aikidoista.

Paulo FernandoPaulo Fernando

Advogado, professor de Direito Constitucional e Eleitoral para concu...

Polibio BragaPolibio Braga

Políbio Braga é um jornalista e escritor brasileiro. Nascido em S...