fbpx

Censura: ‘Existe no Brasil um fenômeno de imprensa permitida’, diz Max Cardoso



O apresentador e chefe de redação do Terça Livre, Max Cardoso, comentou nesta quarta-feira (13), sobre a censura sofrida pela empresa em diversas plataformas de redes sociais.

Segundo ele, existe no Brasil hoje o “fenômeno de imprensa permitida”, que pode gerar não só a perda da liberdade de imprensa, mas também o fim da liberdade de acesso à informação”.

“Estamos assistindo no Brasil à perda da liberdade de imprensa e consequentemente da liberdade de acesso à informação. Está ocorrendo um fenômeno de ‘imprensa permitida’. Só podem existir aqueles que falam o que o establishment permite”, disse Max Cardoso, em entrevista.

Conforme noticiamos, nesta terça-feira, após já ter sido alvo de decisão do ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF) que derrubou os perfis no Facebook, Instagram e Twitter, o Terça Livre teve seu canal suspenso pelo YouTube, no Brasil.

O bloqueio já é o terceiro sofrido pelo TLTV somente em 2021 (Entenda). Outros conservadores do Brasil e do mundo também têm sofrido com a cultura do cancelamento realizada pelo establishment.

“Qualquer mídia que ouse falar contra os “dogmas” estabelecidos será rapidamente banida do debate público, sendo tachada de fake news. Não importa se o conteúdo é verdadeiro ou não, se falar fora da cartilha, você não pode existir’, analisou o apresentador do Terça Livre, que vem acompanhando as perseguições sofridas pela empresa desde 2019.

Após ganhar relevância no Brasil, o Terça Livre já foi alvo de pelo menos três investigações ilegais no STF, como o inquérito das Fake News, dos atos antidemocráticos e das milícias digitais. Além disso, até mesmo o Tribunal Superior Eleitoral e a CPI da Pandemia no Senado, decidiram ter como alvo, a empresa de comunicação, que sobrevive apenas de seus assinantes, sem receber financiamento público.

“O Terça Livre sempre representou a inciativa do cidadão comum que não aguenta mais ser enganado pelos meios de comunicação de sempre e resolve mostrar tudo aquilo que esses veículos não falam”, lembrou Max Cardoso.

“O estrondoso sucesso e a rápida multiplicação de canais independentes semelhantes só mostram que esse era um sentimento de boa parte da população brasileira, a demanda sempre esteve lá, mas estava reprimida. Isso obviamente causou um grande desconfortos nas autoridades que viram verdades inconvenientes sendo expostas e a ira dos velhos meios de comunicação que assistem à sua audiência cair, enquanto os meios independentes estão com a audiência subindo exponencialmente”, completou.

Nesta quarta-feira (13), a iniciativa ‘Artigo 220’, baseada na Constituição Federal (CF), decidiu apoiar o Terça Livre. A empresa, por sua vez, cedeu os direitos dos seus programas para o Artigo 220.

Até a tarde de hoje, o canal no YouTube da iniciativa já contava com cerca de 12,9 mil inscritos.

ASSISTA A ENTREIA DO BOLETIM DA MANHÃ NO ‘ARTIGO 220’:

Colunistas

avatar for Juliana GurgelJuliana Gurgel

Católica, produtora, doutora em artes da cena, professora e aikidoista.

avatar for Paulo FernandoPaulo Fernando

Advogado, professor de Direito Constitucional e Eleitoral para concu...

avatar for Polibio BragaPolibio Braga

Políbio Braga é um jornalista e escritor brasileiro. Nascido em S...

Achou algum erro na matéria? Nos informe através do formulário abaixo: