fbpx
Xinhua

China acusa EUA de ‘demonizarem’ o país



 

A China acusou os Estados Unidos de “demonizarem” o país chinês. A declaração ocorreu no último domingo (25), durante uma visita à China da secretária assistente de Estado norte-americana, Wendy Sherman, que teve reuniões com o ministro das Relações Exteriores, Wang Yi. O governo dos EUA, por sua vez, descreveu a conversa entre as potências como “uma discussão franca e aberta”.

Em um comunicado, o Ministério das Relações Exteriores chinês declarou que os EUA querem “reacender o senso de propósito nacional colocando a China como um inimigo imaginário” e mobilizam seu governo para sufocar Pequim.

“A esperança pode ser que, ao demonizarem a China, os Estados Unidos poderão de alguma maneira […] culpar a China por seus próprios problemas estruturais”, diz o comunicado, acrescentando ainda que a relação bilateral entre os países se encontra “estagnada e enfrenta sérias dificuldades”.

No documento, o ministério também apresentou diversas exigências para os EUA, como a suspensão das sanções contra autoridades chinesas, o fim das restrições de vistos a estudantes e o fim das sanções às empresas chinesas. Xie Feng, vice-ministro das Relações Exteriores chinês, também exigiu o fim dos pedidos de uma nova investigação sobre as origens da Covid na China.

“Parem de pisar nas linhas vermelhas. Instamos os Estados Unidos a mudarem sua mentalidade equivocada e sua política perigosa”, afirmou o vice-ministro.

Atualmente, os dois países passam por um momento de tensão, sobretudo em assuntos relacionados à cibersegurança e aos direitos humanos.

Nas últimas semanas, os Estados Unidos, a União Europeia e os países aliados da OTAN acusaram a China de estar envolvida em ataques, incluindo o hackeamento, no começo deste ano, do servidor de e-mails da Microsoft, utilizado por empresas e governos de todo o mundo. 

O encontro desse final de semana não terminou com resultados concretos e também foi marcado com a censura da imprensa estrangeira, que não pôde cobrir a reunião. Somente a mídia chinesa estatal pôde estar presente no local. O regime comunista argumentou que o protocolo era devido à pandemia.

Sobre o Colunista

Brehnno Galgane

Graduando em Filosofia pela PUC-Rio, Católico e cultivador de uma narrativa que tenha sentido segundo a forma humana.

Comente

Clique aqui para comentar

Colunistas

avatar for Juliana GurgelJuliana Gurgel

Católica, produtora, doutora em artes da cena, professora e aikidoista.

avatar for Paulo FernandoPaulo Fernando

Advogado, professor de Direito Constitucional e Eleitoral para concu...

avatar for Polibio BragaPolibio Braga

Políbio Braga é um jornalista e escritor brasileiro. Nascido em S...

Achou algum erro na matéria? Nos informe através do formulário abaixo: