fbpx

China lança regulamento antitruste visando gigantes do comércio eletrônico



No último dia 10 de novembro, as autoridades do Partido Comunista Chinês (PCCh) anunciaram que iriam acabar com os monopólios na economia de algumas das empresas mais poderosas da China. Corporações como Alibaba Group Holding Ltd. e Tencent Holdings Ltd. passariam a ser monitoradas pelo governo comunista, perseguindo investidores e empresários mais ricos do país.

As autoridades do país comunista supostamente estão preocupadas de que as empresas tenham se tornado muito poderosas, de acordo com Ma Chen, um empresário com sede em Pequim no Han Kun Law Offices. “Este é um momento decisivo”, disse Ma, que é supostamente especialista em antitruste.

Os reguladores chineses “estão intensificando o controle porque essas empresas de plataforma se tornaram muito poderosas e afetam todos os aspectos da vida”, disse Chen.

Alibaba, Ant e Tencent sozinhas comandavam uma capitalização de mercado combinada de quase US$ 2 trilhões antes da semana passada, ultrapassando facilmente gigantes estatais como o Bank of China Ltd. como as empresas mais valiosas do país.

Sobre o Colunista

Brehnno Galgane

Brehnno Galgane

Graduando em Filosofia pela PUC-Rio, Católico e cultivador de uma narrativa que tenha sentido segundo a forma humana.

Comente

Clique aqui para comentar

Colunistas

Juliana GurgelJuliana Gurgel

Católica, produtora, doutora em artes da cena, professora e aikidoista.

Paulo FernandoPaulo Fernando

Advogado, professor de Direito Constitucional e Eleitoral para concu...

Polibio BragaPolibio Braga

Políbio Braga é um jornalista e escritor brasileiro. Nascido em S...