fbpx
Esquema de segurança montado para a cúpula dos Brics

Ciência, tecnologia e inovação são prioridade na cúpula do Brics



Começa nesta quarta-feira (13), em Brasília, a reunião da 11ª Cúpula do Brics entre o presidente Jair Bolsonaro e líderes do grupo formado por Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul.

A programação segue até quinta (14) no Palácio Itamaraty, sede do Ministério das Relações Exteriores.

Desde a meia-noite, o trânsito na Esplanada dos Ministérios e nas vias N2 e S2, onde ficam os anexos dos ministérios, está isolado por um esquema de segurança e os funcionários têm ponto facultativo nos dois dias de reunião.

O Brasil exerce, este ano, a presidência de turno do Brics, sob o lema “Crescimento Econômico para um Futuro Inovador”.

As áreas prioritárias de trabalho são: ciência, tecnologia e inovação; economia digital; aproximação entre o Conselho Empresarial do BRICS e o Novo Banco de Desenvolvimento (NDB); saúde e combate à corrupção e ao terrorismo, informou o Itamaraty.

Participam do encontro o presidente Vladimir Putin, da Rússia; o primeiro-ministro Narendra Modi, da Índia; o presidente Xi Jinping, da China; e o presidente Cyril Ramaphosa, da África do Sul.

Na Cúpula, os mandatários discutirão formas de intensificar a cooperação intra-BRICS. Ao final do encontro, declaração tratará de temas da agenda internacional e da cooperação no âmbito do agrupamento.

Serão realizadas reuniões bilaterais entre o presidente Jair Bolsonaro e os mandatários dos demais países membros do agrupamento. Os líderes participarão nesta quarta-feira (13) da sessão de encerramento do Fórum Empresarial do BRICS, que reunirá cerca de 500 empresários dos cinco países.

Sobre o Colunista

Bruna de Pieri

5 Comentários

Clique aqui para comentar

  • De novo ?
    Me diga algo de concreto que foi feito depois de qualquer uma das outras reuniões passadas e que renderam empregos para qualquer um dos países, ou riquezas ou qualquer coisa que possamos ao menos tocar com o dedo ? Nada !!! Não existe nada !!!
    Mas não é de admirar.
    Estas reuniões eram bem ao gosto do cachaceiro, pois reuniam um monte de repórteres, alguns até do estrangeiro, e davam um brilhareco na imagem e ego do verme. Por isto ele se empenhava tanto, mas não se empenhava nada para que houvesse algo de físico depois das reuniões.
    Esta reunião vai ser mais dinheiro jogado fora, e vai trazer a Rússia e a China para cá, e eles agora são antagonistas do governo. O que se espera sair desta reunião , além de notícias ?

  • Sergio,

    De fato concordo com você, há muito pouco retorno desse grupo de países, é muito prolixo, não resulta em nada, no mais, eu acho que se o NDB abrir um banco em São Paulo e realmente iniciar exforços para financiar desenvolvimento do Brasil e outros países do Grupo, fica mais interessante. Mas de fato, o que está rolando é um clima pesado em função da presença da Rússia e China na Venezuela, e é um assunto que não deve ser discutido, pois, como conhecido, o qualquer escorregada da China ou Rússia no assunto, deve dar munição pro Bolsonaro ir pro ataque e mandar eles se fuderem, aí, o Brasil fica a um passo de ter bomba nuclear. kkkkk

  • “Ciência, tecnologia e inovação são prioridade na cúpula do Brics”!? 😐 Bom, aqui no Brasil NÃO É. 😉 KKKKKKKKKKKKKKK! 😀

Colunistas

avatar for Juliana GurgelJuliana Gurgel

Católica, produtora, doutora em artes da cena, professora e aikidoista.

avatar for Paulo FernandoPaulo Fernando

Advogado, professor de Direito Constitucional e Eleitoral para concu...

avatar for Polibio BragaPolibio Braga

Políbio Braga é um jornalista e escritor brasileiro. Nascido em S...

Achou algum erro na matéria? Nos informe através do formulário abaixo: