fbpx
Brazil's former national integration minister Ciro Gomes gestures during the launching of his pre-candidacy for Brazil's presidential election for the Democratic Labour party, at the National Congress, in Brasilia, Brazil March 8, 2018. REUTERS/Adriano Machado

Ciro parece e o ataque a Holiday: para a turma do politicamente correto a esquerda pode tudo!



Em uma das suas recentes entrevistas, desta vez na Jovem Pan, o presidenciável Ciro Gomes (PDT) chamou o vereador por São Paulo Fernando Holiday de “capitãozinho do mato”, ao ser questionado sobre uma possível aliança com o Democratas, que é a legenda do edil.

O presidenciável fez alusão ao fato do vereador ser negro e contrário às políticas de ações afirmativas. Ao invés de mostrar argumentos, fez um ataque Holiday construindo um “espantalho” para colocar como preconceituoso todos aqueles que possuem uma postura contrária ao estabelecimento de cotas.

Ciro Gomes repete a velha estratégia de fugir do cerne da questão para atacar pessoas. Não é a primeira vez. O presidenciável talvez desconheça que um dos livros mais críticos às ações afirmativas é de um economista e pensador negro: Thomas Sowell. Este é um dos maiores defensores das liberdades individuais na atualidade.

A agressividade de Ciro Gomes foi imediatamente rebatida por Holiday, que o acusou de racismo e afirmou que vai processar o presidenciável.

Apesar do ataque frontal fazer referências ao fato de Holiday ser negro, a intelectualidade do estamento – que adota o politicamente correto como arma contra seus adversários políticos – silenciou. Como Ciro Gomes concorda com a intelectualidade de esquerda, suas declarações foram ignoradas.

Seria diferente se viesse de alguém de outro espectro político e o alvo fosse um militante esquerdista. Ciro Gomes, com suas declarações, prova duas coisas: 1) o ataque às pessoas tem sido a regra de sua campanha, ao invés do debate de ideias e 2) a seletividade da turma que o defende como opção viável diante da derrocada petista.

Sobre o Colunista

Redação

4 Comentários

Clique aqui para comentar

  • Sardinha on the table pode falar o que quiser, sempre baba os “intelectuais”, enche a bola de incapazes .
    Eu acreditava que CangaCiro seria o maior adversário de Bolsonaro mas “O Lula que foi a faculdade” já morreu como peixe.

  • Esquerdismo é sinônimo de hipocrisia. Nada surpreendente, portanto, o silêncio dos imbecis quando o insultado é de direita e o agressor é de esquerda.

Colunistas

avatar for Juliana GurgelJuliana Gurgel

Católica, produtora, doutora em artes da cena, professora e aikidoista.

avatar for Paulo FernandoPaulo Fernando

Advogado, professor de Direito Constitucional e Eleitoral para concu...

avatar for Polibio BragaPolibio Braga

Políbio Braga é um jornalista e escritor brasileiro. Nascido em S...

Achou algum erro na matéria? Nos informe através do formulário abaixo: