fbpx

CoronaVac pode ser liberada em 72h se Doria pedir uso emergencial

Foto: Reuters


O governador de São Paulo, João Doria, disse que vai solicitar à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) o registro para uso emergencial da vacina chinesa CoronaVac.

O secretário estadual de Saúde, Jean Gorinchteyn afirmou em coletiva de imprensa na segunda-feira, 7, que o pedido deverá ser feito nos próximos dias.

Se Doria fizer o pedido e se ele for aceito pela Agência, a vacina poderá ser liberada em até 72 horas, segundo estabelece a Lei 14.006 de 28 de maio de 2020. 

Com a mudança, o artigo 3º da Lei nº 13.979, de 6 de fevereiro de 2020, passou conferir “autorização excepcional e temporária para a importação e distribuição de quaisquer materiais, medicamentos, equipamentos e insumos da área de saúde sujeitos à vigilância sanitária sem registro na Anvisa considerados essenciais para auxiliar no combate à pandemia do coronavírus”.

Os insumos poderão ser utilizados desde que estejam registrados por pelo menos uma das seguintes autoridades sanitárias estrangeiras e autorizados à distribuição comercial.

  1. Food and Drug Administration (FDA) (Estados Unidos);
  2. European Medicines Agency (EMA)(Europa);
  3. Pharmaceuticals and Medical Devices Agency (PMDA/Japão) ;
  4. National Medical Products Administration (NMPA) (China);

A vacina Coronavac está sendo testada na China, na Turquia, na Indonésia e no Brasil.

Colunistas

avatar for Juliana GurgelJuliana Gurgel

Católica, produtora, doutora em artes da cena, professora e aikidoista.

avatar for Paulo FernandoPaulo Fernando

Advogado, professor de Direito Constitucional e Eleitoral para concu...

avatar for Polibio BragaPolibio Braga

Políbio Braga é um jornalista e escritor brasileiro. Nascido em S...

Achou algum erro na matéria? Nos informe através do formulário abaixo: