fbpx

Cuba implementa mais mecanismos de censura



 

A ditadura cubana bloqueou o funcionamento de ferramentas anti-censura. A Empresa de Telecomunicações de Cuba S.A., a Etecsa, implementou um filtro que impede o envio das palavras VPN – Rede Privada Virtual – e do nome da ferramenta “Psiphon” por mensagens de texto (SMS). A estatal possui o monopólio dos serviços de telecomunicações em Cuba.

A estratégia é evitar que os usuários repassem detalhes sobre o uso de VPNs, uma ferramenta essencial para contornar o bloqueio à imprensa independente e que também limita o acesso à publicação de vídeos de protestos nas redes sociais.

Quanto ao Psiphon, é um mecanismo amplamente utilizado na ilha, sobretudo após a restrição de acesso à internet no país. O aplicativo inclui diferentes mecanismos para evitar a censura, que são usados ​​por uma variedade de servidores, servidores  proxy e tecnologias VPN. Vários meios de comunicação recomendam seu uso para ler seu conteúdo em países com censura.

Este não é o primeiro bloqueio realizado pela Ectesa. Há cinco anos, outras palavras também foram limitadas pela estatal.

De acordo com o Jornal 14ymedio, foram censurados vocábulos que fazem alusão a “direitos humanos”, “greve de fome” e nomes de vários opositores e repórteres independentes. Além disso, a estatal implementou formas de controle nas redes sociais WhatsApp e Telegram.

Durante a participação no Radar da Mídia desta segunda-feira (19), o analista político José Carlos Sepúlveda destacou o silêncio das vozes da autoproclamada terceira via, que nada dizem a respeito do que se passa em Cuba.

“Onde é que está o protesto dos grandes democratas do Brasil? O senhor Rodrigo Pacheco, que preside o Senado e fez questão de mandar um telegrama pelos cem anos do Partido Comunista Chinês responsável, este sim, por um verdadeiro genocídio na história? Onde ele está para erguer a voz, enquanto presidente do Senado, contra a barbaridade que está sendo feita em Cuba? E onde é que está o próprio Itamaraty? E eu também não vejo as vozes da terceira via se levantarem contra a repressão em Cuba. Onde é que tão essas vozes da terceira via? A Zoe Martínez, nas entrevistas que ela dá, mostra que não há terceira via. O que vai acontecer no Brasil é isso que está acontecendo em Cuba, e o que aconteceu em Cuba foi encaminhado por todas as terceiras vias da época, que permitiram que a revolução vencesse”, ressaltou.

Assista aos comentários da notícia

 

Sobre o Colunista

Italo Toni Bianchi

Ítalo Toni Bianchi, bacharel em teologia pelo Seminário Teológico Batista Nacional Enéas Tognini. Músico percussionista, leitor, preletor e redator no Terça Livre.

Comente

Clique aqui para comentar

Colunistas

avatar for Juliana GurgelJuliana Gurgel

Católica, produtora, doutora em artes da cena, professora e aikidoista.

avatar for Paulo FernandoPaulo Fernando

Advogado, professor de Direito Constitucional e Eleitoral para concu...

avatar for Polibio BragaPolibio Braga

Políbio Braga é um jornalista e escritor brasileiro. Nascido em S...

Achou algum erro na matéria? Nos informe através do formulário abaixo: