fbpx

Depois do Brasil, China autoriza uso da Coronavac



Após o Brasil liberar o uso emergencial da vacina produzida pela Sinovac, a Coronavac, somente neste sábado (06) a autoridade reguladora de medicamentos da China aprovou de forma “condicional” o uso do imunizante contra a covid-19.

A autorização vem após os ensaios da vacina em países como Brasil e Turquia, embora “os resultados em termos de eficácia e segurança ainda não tenham sido confirmados”, diz a Sinovac, em nota à imprensa.

Segundo a farmacêutica chinesa, o antígeno – vírus inativo – pode ser usado para vacinação “de pessoas a partir dos 18 anos para prevenir doenças causadas pelo coronavírus SARS-CoV-2”.

A aprovação condicional significa que a vacina pode ser dada agora ao público em geral, embora a pesquisa ainda esteja em curso, explicou a Agência Brasil.

O laboratório da Sinovac terá de apresentar dados de acompanhamento, bem como relatórios de quaisquer efeitos adversos após a vacina ser vendida no mercado.

É a segunda vacina produzida localmente a receber aprovação condicional na China. Em dezembro, Pequim autorizou a vacina estatal da Sinopharm.

Conforme o Terça Livre noticiou, no dia 17 de janeiro a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) autorizou por unanimidade o uso emergencial das vacinas Coronavac no Brasil mesmo com apenas 50,38% de eficácia.

A vacina da Sinovac tem recebido muitas críticas por sua falta de transparência, tendo sido apontados diferentes dados de eficácia em diferentes países em todo o mundo.

No Brasil, Anvisa comunicou, em janeiro, após concluir a triagem dos documentos submetidos pelo Instituto Butantan para autorização de uso emergencial da vacina CoronaVac, que faltavam “dados necessários à avaliação da autorização de uso emergencial.”

Enquanto os testes realizados na Turquia mostraram eficácia de 91,25%, os dados fornecidos pela Indonésia apontaram para 65,3%, e o Brasil baixou os dados para 50,38% uma semana após o anúncio de 78%.

A Fase 3 dos ensaios clínicos foi realizada no Brasil, no Chile, na Indonésia e na Turquia, com um total de 25.000 voluntários.

A doença que o imunizante tenta amenizar é transmitida pelo novo coronavírus, que surgiu em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Agência Brasil.

QUEREM NOS CALAR! Não perca contato com o Terça Livre. Acesse: tercalivre.com.br/juntos.

Assista os nossos Boletins no Facebook:
CLIQUE AQUI PARA ASSISTIR.

Colunistas

avatar for Juliana GurgelJuliana Gurgel

Católica, produtora, doutora em artes da cena, professora e aikidoista.

avatar for Paulo FernandoPaulo Fernando

Advogado, professor de Direito Constitucional e Eleitoral para concu...

avatar for Polibio BragaPolibio Braga

Políbio Braga é um jornalista e escritor brasileiro. Nascido em S...

Achou algum erro na matéria? Nos informe através do formulário abaixo: