fbpx

‘Duvidar da idoneidade de um processo eleitoral não significa rejeitar a democracia’ diz Ernesto



O ministro das Relações Exteriores do Brasil, Ernesto Araújo, disse nesta quinta-feira (7) que grande parte do povo americano se sente “agredida e traída por sua classe política e desconfia do processo eleitoral”.

Em publicação no Twitter, o chanceler comentou sobre a morte de quatro pessoas e afirmou a necessidade de “lamentar e condenar a invasão da sede do Congresso”.

“Nada justifica uma invasão como a ocorrida ontem. Mas ao mesmo tempo nada justifica, numa democracia, o desrespeito ao povo por parte das instituições ou daqueles que as controlam.”

Ainda de acordo com ele, “há que investigar se houve participação de elementos infiltrados na invasão”.

Araújo também atentou à necessidade de parar de chamar de “fascistas” os cidadãos de bem “quando se manifestam contra elementos do sistema político ou integrantes das instituições”.

“Deslegitimar o povo na rua e nas redes só serve para manter estruturas de poder não democráticas e seus circuitos de interesse”, assinalou.

Segundo o chanceler, é necessário distinguir “processo eleitoral” e “democracia”.

“Duvidar da idoneidade de um processo eleitoral NÃO significa rejeitar a democracia. Ao contrário, uma democracia saudável requer, como condição essencial, a confiança da população na idoneidade do processo eleitoral”.

E finalizou dizendo que o direito do povo de exigir o bom funcionamento de suas instituições é sagrado.

“Que os fatos de ontem em Washington não sirvam de pretexto, nos EUA ou em qualquer país, para colocar qualquer instituição acima do escrutínio popular”.

Veja a íntegra da publicação:

Colunistas

avatar for Juliana GurgelJuliana Gurgel

Católica, produtora, doutora em artes da cena, professora e aikidoista.

avatar for Paulo FernandoPaulo Fernando

Advogado, professor de Direito Constitucional e Eleitoral para concu...

avatar for Polibio BragaPolibio Braga

Políbio Braga é um jornalista e escritor brasileiro. Nascido em S...

Achou algum erro na matéria? Nos informe através do formulário abaixo: