fbpx

Estudo francês aponta eficácia da Ivermectina



 

O Instituto Pasteur, na França, divulgou um estudo apontando a eficácia da ivermectina para combater a Covid-19. O trabalho científico foi publicado na revista da European Organization of Molecular Biology na última segunda-feira (12).

Segundo o estudo científico, o medicamento causa “uma limitação da inflamação do trato respiratório e dos sintomas que dela decorrem” e “proteção contra a perda de cheiro”.

Segundo Guilherme Dias de Melo, epidemiologista e coautor do estudo, a ivermectina não atua como antiviral, mas como imunomodulador, um tipo de nutriente que atua no sistema imunológico para fortalecer as defesas e o funcionamento do próprio sistema.

Os pesquisadores apontaram a ivermectina como um agente terapêutico promissor contra a Covid-19, sem impacto na replicação do vírus, mas aliviando a inflamação e os sintomas decorrentes.

O estudo francês foi realizado em Hamsters de laboratório infectados com SARS-CoV-2, porém outras entidades pelo mundo também já apontaram a eficácia da ivermectina no tratamento contra a Covid-19, por métodos “in vitro” e ainda em milhares de pacientes. Em junho de 2020, por exemplo, um estudo australiano comprovou que a ivermectina inibe a replicação do coronavírus in vitro.

Já em junho deste ano, o Departamento de Medicina da Universidade Pelita Harapan, na Indonésia, concluiu que a administração da ivermectina em pacientes contaminados pela Covid-19 reduz a mortalidade, a gravidade da doença, o tempo de internação e o tempo para o alívio dos sintomas. 

Também em junho deste ano, a Universidade de Oxford publicou um estudo associando o antiparasitário ivermectina a uma redução de até 56% da mortalidade em pacientes internados, com gravidade moderada, por covid-19.

Outro estudo, realizado entre março e maio de 2020, pela revista Chest Journal, apontou que o uso de ivermectina pode estar associado à queda considerável de mortalidade em pacientes hospitalizados e com comprometimento pulmonar grave, decorrente do Covid-19.

Em fevereiro deste ano, Associação Médica do Rio Grande do Norte (AMRN) apresentou “evidências científicas do tratamento precoce da Covid-19” com mais de 10.509 pacientes. O uso da Ivermectina obteve cerca de 78% de eficácia na redução do risco de morte das pessoas infectadas pelo coronavírus.

O jornalista Allan dos Santos, durante o Boletim da Noite de sexta-feira (17), criticou a postura da velha mídia ao deixar de noticiar os diversos estudos sobre a eficácia da ivermectina.

“O trabalho da imprensa diante desse fato – um estudo francês apontando a eficácia da ivermectina – poderia ter auxiliado inúmeros prefeitos e governadores que, vamos supor, estariam ainda receosos de tomar outras medidas senão aquelas draconianas de trancar todo mundo em casa e obrigar todo mundo a usar máscaras o tempo todo”, disse o jornalista. “As pessoas poderiam estar muito mais esclarecidas”, concluiu.

Assista aos comentários da notícia

Sobre o Colunista

Brehnno Galgane

Graduando em Filosofia pela PUC-Rio, Católico e cultivador de uma narrativa que tenha sentido segundo a forma humana.

Comente

Clique aqui para comentar

Colunistas

avatar for Juliana GurgelJuliana Gurgel

Católica, produtora, doutora em artes da cena, professora e aikidoista.

avatar for Paulo FernandoPaulo Fernando

Advogado, professor de Direito Constitucional e Eleitoral para concu...

avatar for Polibio BragaPolibio Braga

Políbio Braga é um jornalista e escritor brasileiro. Nascido em S...

Achou algum erro na matéria? Nos informe através do formulário abaixo: