fbpx

EUA: empresas de pesquisa eleitoral dos democratas admitem ‘erros graves’ nas eleições de 2020



Um grupo de importantes pesquisadores do Partido Democrata divulgou uma declaração pública, na última terça-feira (13), reconhecendo “grandes erros” nas pesquisas eleitorais de 2020 e que exagerou nas previsões favoráveis a Joe Biden.

“Em 2020, nossa indústria viu grandes erros e não correspondeu às nossas próprias expectativas”,  disse a declaração da ALG Research, Garin-Hart-Yang Research Group, GBAO Strategies, Global Strategy Group e Normington Petts.

A maioria das pesquisas, antes da eleição presidencial americana, apontaram que o candidato democrata Joe Biden ganharia com folga do então presidente dos Estados Unidos, Donald Trump.

Isso acabou gerando comentários críticos da mídia pós-eleitoral, com alguns afirmando que “as [empresas de] pesquisas parecem estar irrevogavelmente quebradas”, enquanto outros argumentaram que “a indústria de pesquisas está em naufrágio e deveria ser explodida”.

Uma média das pesquisas eleitorais presidenciais de 2020, na véspera de 3 de novembro, compiladas pela FiveThirtyEight, mostrou Biden com uma vantagem de 8,4 pontos percentuais sobre Trump. Os resultados, pouco tempo depois, mostraram cerca de 4,4 pontos à frente. Não apenas isso, mas nos estados republicanos Trump se saiu melhor do que as pesquisas previam, com 6,4 pontos à frente.

“Todos nós pensamos que os Democratas teriam um dia de eleição melhor do que eles [Republicanos]”, escreveram as cinco empresas de pesquisa no memorando. “Então, o que deu errado?”

Segundo as empresas de pesquisa dos democratas, vários fatores podem ter contribuído para os erros de pesquisa de 2020, “e não há uma resposta única e definitiva – o que torna a solução do problema especialmente frustrante”.

Em termos gerais, eles culpam os erros tanto no comparecimento quanto na medição, sendo a medição “provavelmente o maior culpado na maioria dos lugares”.

As pesquisas descobriram que seus modelos superestimaram a participação democrata em relação à participação republicana.

“Entre os eleitores de baixa propensão – pessoas que não esperávamos votar – a parcela republicana do eleitorado excedeu as expectativas em quatro vezes a taxa da parcela democrata”, disseram eles, o que significa que – de novo – as pesquisas subestimaram a participação dos eleitores.

As empresas de pesquisas, reconhecendo que “nenhum consenso surgiu sobre uma solução”, e disseram que iriam “embarcar em uma série de experimentos ao longo deste ano”, para chegar ao fundo da questão e apresentar uma explicação mais sólida para os erros.

Sobre o Colunista

Brehnno Galgane

Graduando em Filosofia pela PUC-Rio, Católico e cultivador de uma narrativa que tenha sentido segundo a forma humana.

Comente

Clique aqui para comentar

Colunistas

avatar for Juliana GurgelJuliana Gurgel

Católica, produtora, doutora em artes da cena, professora e aikidoista.

avatar for Paulo FernandoPaulo Fernando

Advogado, professor de Direito Constitucional e Eleitoral para concu...

avatar for Polibio BragaPolibio Braga

Políbio Braga é um jornalista e escritor brasileiro. Nascido em S...

Achou algum erro na matéria? Nos informe através do formulário abaixo: