fbpx

EUA: empresas vinculadas ao PCCh podem ter desviado até US$ 420 milhões do contribuinte americano



A “Receita Federal” dos EUA irá dar início a uma investigação envolvendo mais de 125 empresas americanas com ligações significativas com o Partido Comunista da China (PCCh), para investigar o repasse de aproximadamente US$ 420 milhões.

Segundo Adam Andrzejewski, fundador da Open the Books, as movimentações ilegais ocorreram por meio dos fundos de empréstimo do Programa de Proteção de Pagamentos (PPP).

A Open the Books, sediada em Illinois, nos Estados Unidos, é uma fundação dedicada à transparência governamental. Somente em 2020 entrou com mais de 40 mil solicitações de Freedom of Information Act (FOIA) para documentar os gastos do governo, visando a garantir que os cidadãos tenham acesso a “cada centavo, de forma online e em tempo real”.

“Os empreiteiros comunistas chineses usaram uma brecha legal para sequestrar até US$ 400 milhões destinados a pequenas empresas na Main Street no auge da pandemia. É hora de fazer uma auditoria forense dessas empresas. Em nome do contribuinte americano e das empresas familiares em todos os lugares, o IRS deve investigar e recuperar quaisquer ganhos indevidamente obtidos”, disse o fundador e CEO da Open the Books.

Andrzejeweski estava se referindo a um relatório publicado em agosto de 2020, pela Horizon Advisory, uma empresa de consultoria estratégica, que descobriu uma expressiva saída de dólares do dinheiro do contribuinte americano para empresas ligadas ao PCCh. O CEO chegou a apontar três das firmas vinculadas ao PCCh que obtiveram os empréstimos do PPP.

  • Nanjing Xinbai, uma empresa estatal chinesa ligada ao PCCh por meio de um acionista controlador, que possui a Dendreon Pharmaceuticals, uma empresa de biotecnologia com sede na Califórnia, que recebeu um empréstimo no valor de US$ 5 milhões a US$ 10 milhões.
  • A Aviation Industry Corporation of China é uma empresa militar chinesa proprietária da Continental Aerospace Technologies (CAT). Este último recebeu US$ 10 milhões do PPP.
  • Uma entrada com base na China na Fortune Global 500, o HNA Group da China, uma empresa de transações imobiliárias, de aviação e de serviços financeiros, possui o HNA Group North America LLC e o HNA Training Center NY, ambos os quais receberam empréstimos de até US$ 1 milhão.

O senador Marco Rubio, então presidente da Comissão de Pequenas Empresas e Empreendedorismo do Senado, disse ao Epoch Times que defende a necessidade do Departamento de Justiça dos EUA de processar as empresas que obtiveram fundos de forma fraudulenta do PPP.

“O Programa de Proteção de Pagamentos salvou dezenas de milhões de empregos no ano passado e manteve inúmeras pequenas empresas vivas durante o pior dos bloqueios econômicos. Qualquer entidade que obteve um empréstimo de PPP de forma fraudulenta deve ter o perdão negado e ser processada”, declarou o senador.

“Cada agência federal e cada legislador precisam levar a sério a ameaça de Pequim e garantir que os dólares dos impostos dos EUA não sejam distribuídos às empresas chinesas, [o que seria] uma vantagem injusta sobre as pequenas empresas americanas”, acrescentou Rubio.

O Departamento de Justiça (DOJ) dos EUA, ainda no início deste ano, anunciou que pelo menos 120 entidades foram acusadas, ​​desde o início do Programa de Proteção de Pagamentos, em 2020, por uma variedade de crimes. Nenhuma das 120, contudo, se encontra entre as 125 instituições com vinculadas ao PCCh.

“Os casos envolvem uma variedade de condutas, de proprietários de empresas individuais que inflaram suas despesas da folha de pagamento para obter empréstimos maiores do que seriam qualificados, além de fraudadores em série que reviveram corporações inativas e compraram empresas de fachada (sem operações reais) para solicitar vários empréstimos, [embora] afirmem falsamente que tinham uma folha de pagamento significativa”, declarou o DOJ, em um comunicado de 26 de março.

“A maioria dos acusados ​​desviou os recursos do empréstimo para fins proibidos, como a compra de casas, carros, joias e outros itens de luxo”, apontou o comunicado.

Sobre o Colunista

Brehnno Galgane

Graduando em Filosofia pela PUC-Rio, Católico e cultivador de uma narrativa que tenha sentido segundo a forma humana.

Comente

Clique aqui para comentar

Colunistas

avatar for Juliana GurgelJuliana Gurgel

Católica, produtora, doutora em artes da cena, professora e aikidoista.

avatar for Paulo FernandoPaulo Fernando

Advogado, professor de Direito Constitucional e Eleitoral para concu...

avatar for Polibio BragaPolibio Braga

Políbio Braga é um jornalista e escritor brasileiro. Nascido em S...

Achou algum erro na matéria? Nos informe através do formulário abaixo: