fbpx

EUA vão esperar para punir China sobre origem da Covid



O assessor de Segurança Nacional dos Estados Unidos, Jake Sullivan, informou no último domingo (20) que o governo do presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, não tomará medidas imediatas para pressionar o Partido Comunista da China (PCCh) para descobrir a origem da Covid-19.

Conforme informou o The Epoch Times, além de não aplicar nenhuma sanção imediata à China sobre o assunto, Sullivan declarou que o governo democrata norte-americano irá pressionar o Partido Comunista da China (PCCh) somente quando houver um “consenso internacional”.

“Não vamos, neste momento, fazer ameaças ou ultimatos. O que vamos fazer é continuar a reunir apoio na comunidade internacional […] E se ficar claro que a China se recusa a cumprir suas obrigações internacionais, teremos que considerar nossas respostas a essa altura, e o faremos em conjunto com aliados e parceiros”, disse o assessor de Segurança Nacional dos EUA.

As suspeitas sobre o surgimento do coronavírus em um laboratório do Instituto de Virologia de Wuhan, que antes eram consideradas teorias da conspiração, têm ganhado cada vez mais espaço nas discussões públicas sobre o assunto.

Após uma primeira investigação da OMS na China sobre a origem da doença, muitas denúncias sobre a falta cooperação do regime chinês vem sendo feitas, pois Pequim se recusou a fornecer “dados brutos” sobre os primeiros casos de Covid.

A falta de independência da equipe da Organização Mundial de Saúde também é alvo de críticas, dado que alguns membros da equipe tinham ligações com o PCCh.

“Nós temos uma série de fatos e temos uma série de descobertas e documentos que começam a aparecer que apontam na direção da possibilidade de o vírus ter escapado do laboratório em Wuhan”, pontuou o analista político José Carlos Sepúlveda, durante o Radar da Mídia de segunda-feira (21).

“Hoje tivemos mais notícias a esse respeito, com fotografias dos tais morcegos que eram produzidos e criados dentro do laboratório. Vão se reforçando as evidências de que a China é a responsável por essa pandemia internacional. Pandemia que não apenas matou pessoas, mas lançou o caos em sociedades inteiras, lançou caos econômico, caos sanitário, está agora começando a lançar problemas de saúde mental”, comentou.

“Mas ele fala em não tomar medidas em relação a China, de não pressionar, de não ameaçar etc. Me desculpem, mas esse discurso é de quem será derrotado”, apontou Sepúlveda. “E existe um outro problema, que é a tal investigação liderada pela OMS, problema que diz respeito aos Estados Unidos. Quando o presidente Trump suspendeu a participação dos Estados Unidos na OMS, ele o fez com um relatório aprofundado, esquematizado, em que a equipe dele apontava todos os problemas que a OMS tinha apresentado, todas as desconfianças em relação à OMS por um colaboracionismo com a China em mascarar dados, em impedir que outros países pudessem adotar medidas que poderiam ter evitado a expansão da pandemia pelo mundo”, concluiu o analista político.

ASSISTA AOS COMENTÁRIOS DA NOTÍCIA:

Sobre o Colunista

Brehnno Galgane

Graduando em Filosofia pela PUC-Rio, Católico e cultivador de uma narrativa que tenha sentido segundo a forma humana.

Comente

Clique aqui para comentar

Colunistas

avatar for Juliana GurgelJuliana Gurgel

Católica, produtora, doutora em artes da cena, professora e aikidoista.

avatar for Paulo FernandoPaulo Fernando

Advogado, professor de Direito Constitucional e Eleitoral para concu...

avatar for Polibio BragaPolibio Braga

Políbio Braga é um jornalista e escritor brasileiro. Nascido em S...

Achou algum erro na matéria? Nos informe através do formulário abaixo: