fbpx

Figuras públicas manifestam-se no caso Allan dos Santos

manifesto paulista


O jornalista intimado sob inquérito sigiloso do Supremo Tribunal Federal (STF), Allan dos Santos, em ato de desobediência civil não compareceu nesta terça-feira (28/1), à corte.

Sobre o caso, figuras públicas começaram a manifestar-se através das redes sociais.

No Twitter a deputada federal, Bia Kicis (PSL), disse que “só quem tem atribuição p/ fiscalizar o STF é o Senado. Não falta vontade mas como deputada só posso apresentar e votar projetos para coibir abusos, o que tenho feito mas sem muita adesão de grande parte dos colegas“.

O jornalista do Agora Paraná, Oswaldo Eustáquio, se solidarizou:

Minha solidariedade a @allantercalivre que foi chamado para depor no STF sem ter acesso aos autos. Sem saber se se é testemunha, réu, absolutamente nada, no escuro. A esquerda quer usar esse Tribunal para calar jornalistas conservadores. Não vamos deixar!“, tuitou.

Do Direto Aos Fatos, a jornalista Camila Abdo exclamou o estado de exceção e indagou a legitimidade da convocação: “Estamos em Estado de Exceção. Como uma pessoa é convocada a prestar depoimento sem saber do que é acusada? Vivemos em uma ditadura agora? STF virou a Gestapo agora?

O MBC, Movimento Brasil Conservador, apontou a insanidade da situação: Absurdo o que está sendo protagonizado pelo STF! A passividade e o silêncio do poder Legislativo são igualmente absurdos! Nessas horas o tal “sistema de freios e contrapesos” deixa de existir? Todo apoio ao jornalista @allantercalivre e repúdio total à ditadura do Judiciário!

O deputado federal e jornalista, Paulo Eduardo Martins, classificou o inquérito como obra kafkiana: “O STF tornou a obra de Franz Kafka uma realidade. A Corte existe exatamente para que casos como o de “O processo” não aconteçam, não para realizá -los. Absurdo“.

A juíza de direito no Tribunal de Justiça de Minas Gerais, Ludmila Lins Grilo, falou sobre a prerrogativa legal do inquérito: “Os advogados têm prerrogativa de consulta a autos de inquérito (art. 7°, XXI do Estatuto da OAB). O §12° diz que a negativa de acesso aos autos configura abuso de autoridade. Tenho certeza de que a OAB está atenta e vigilante quanto à defesa das prerrogativas de seus membros!

Sobre o Colunista

Ricardo Roveran

Ricardo Roveran

Estudante de artes, filosofia e ciências. Jornalista, crítico de arte e escritor. Escrevo por amor e nas horas vagas salvo o mundo.

Twitter: @RicardoRoveran

7 Comentários

Clique aqui para comentar

Colunistas

Juliana GurgelJuliana Gurgel

Católica, produtora, doutora em artes da cena, professora e aikidoista.

Paulo FernandoPaulo Fernando

Advogado, professor de Direito Constitucional e Eleitoral para concu...

Polibio BragaPolibio Braga

Políbio Braga é um jornalista e escritor brasileiro. Nascido em S...

Achou algum erro na matéria? Nos informe através do formulário abaixo: