fbpx

Fomos CANCELADOS e agora?



O Terça Livre tem sido alvo do maior, mais perigoso e mais insidioso ataque de TODA sua história nas últimas semanas e nesta segunda-feira (08) está lançando a Semana do Cancelamento, que vem na esteira do cancelamento existencial que a empresa está sofrendo.

Conforme já noticiamos aqui, no último mês o TL-TV perdeu sua plataforma financeira, o que afeta diretamente no trabalho da empresa que conta com diversos funcionários, bem como nos gastos operacionais para sua programação continuar no ar.

Além disso, no dia 03 de fevereiro o Terça Livre também teve seus dois canais banidos do YouTube.

Todos esses cancelamentos são reflexos dos boicotes nas redes sociais, ultimamente motivados pelo grupo de ativismo pró-censura, Sleeping Giants Brasil, que declarou perseguição ao canal, no dia 22 de dezembro de 2020.

Para recuperar sua receita, o Terça Livre está lançando agora uma nova modalidade de assinaturas, o TERÇA LIVRE JUNTOS, onde todos os assinantes novos e antigos poderão comprar TODOS OS PRODUTOS do Terça Livre pelo preço de UM.

Estão inclusos na assinatura o Terça Livre Premium (Diário Terça Livre, a Revista Terça Livre e a Masterclass mensal), o Terça Livre Escola (com mais de 1.500 aulas, em 22 cursos básicos fundamentais) e ainda o Terça Livre Academia (que é uma série de 6 cursos aprofundados sobre História, Política, Filosofia, Oratória, Educação e Direito). Ou seja, CINCO assinaturas, pelo preço de UMA.

Para saber mais acesse: tercalivrejuntos.com.br.

Relembre os CANCELAMENTOS:

Em 2017, o YouTube já havia retirado a possibilidade do Canal realizar seus cursos na plataforma, o que levou o TL a levar seus infoprodutos para a Hotmart, que também os cancelou em junho de 2020.

Já em 2019 os cancelamentos de publicidade vieram quando o blog morista ‘O Antagonista’ tentou difamar com matérias falsas, o que não foi feito somente por este site, mas por toda grande mídia brasileira.

No mesmo ano o legislativo criou a ‘CPI das Fake News’ e também a ‘caça aos conservadores’ através de inquérito inconstitucional “de combate as FakeNews” instaurado pelo Supremo Tribunal Federal (STF) e o canal do Terça Livre no YouTube obteve seu primeiro ‘strike’ da plataforma, levando a um bloqueio de alguns dias.

Em 2020, o STF mandou que a Polícia Federal realizasse duas buscas na sede do Terça Livre, o que não resultou em nenhuma prova de acusação verdadeira contra o TL e seu jornalista, Allan dos Santos.

No entanto, esses e outros tantos cancelamentos que a empresa sofreu, elevaram o número de seus inscritos no YouTube e assinantes de seus produtos, o que motivou os boicotes atuais.

Para melhor entendimento, na prática, hoje o Terça Livre terá que recuperar, começar do zero, TODOS os assinantes que haviam conquistado nos últimos 5 anos. 

Na última sexta-feira (05) o Juiz Henrique Paiva, da 8ª Vara do Foro Central Cível de São Paulo, determinou que a empresa Google, responsável pelo YouTube, se manifeste sobre a censura praticada contra o canal do Terça Livre.

QUEREM NOS CALAR! Assine já o Terça Livre Juntos: tercalivrejuntos.com.br.

Assista os nossos Boletins no Facebook e no Instagram.

Colunistas

avatar for Juliana GurgelJuliana Gurgel

Católica, produtora, doutora em artes da cena, professora e aikidoista.

avatar for Paulo FernandoPaulo Fernando

Advogado, professor de Direito Constitucional e Eleitoral para concu...

avatar for Polibio BragaPolibio Braga

Políbio Braga é um jornalista e escritor brasileiro. Nascido em S...

Achou algum erro na matéria? Nos informe através do formulário abaixo: