fbpx

Fundador do Alibaba some após criticar sistema financeiro da China

Wang HE/Getty Images


O fundador do Alibaba, Jack Ma, não é visto em público há pelo menos dois meses, desde quando criticou abertamente a forma como o sistema financeiro da China é gerido.

O empresário foi visto pela última vez em outubro durante um fórum em Xangai. Durante discurso, ele criticou o sistema regulatório da China, o que resultou na suspensão do IPO (oferta pública inicial de ações) de US$ 37 bilhões do braço financeiro Ant Group.

Em novembro Ma deveria participar do episódio final do programa “Heróis Empresariais da África”, uma competição para empresários africanos. No entanto, foi substituído por um outro executivo do Alibaba.

Uma porta-voz da empresa disse à Reuters na segunda-feira (4) que a mudança ocorreu devido a um conflito de horários, e se recusou a entrar em detalhes.

Reguladores chineses se concentraram nos negócios de Ma desde seu discurso de outubro, incluindo o lançamento de uma investigação antitruste no Alibaba e ordenando que a Ant reformulasse seus empréstimos e outros negócios de financiamento ao consumidor, incluindo a criação de uma holding separada para atender às exigências de capital.

“Acho que ele foi avisado para se calar”, disse Duncan Clark, presidente da consultoria de tecnologia BDA China, com sede em Pequim.

“Esta é uma situação bastante singular, mais ligada à escala do Ant e às sensibilidades sobre a regulamentação financeira”, disse ele.

As ações do Alibaba listadas em Hong Kong caíram 2,15% na segunda-feira, de acordo com a Reuters.

Sobre o Colunista

Bruna de Pieri

Bruna de Pieri

Esposa, jornalista, tupãense e católica. 23 anos.

Comente

Clique aqui para comentar

Colunistas

Juliana GurgelJuliana Gurgel

Católica, produtora, doutora em artes da cena, professora e aikidoista.

Paulo FernandoPaulo Fernando

Advogado, professor de Direito Constitucional e Eleitoral para concu...

Polibio BragaPolibio Braga

Políbio Braga é um jornalista e escritor brasileiro. Nascido em S...

Achou algum erro na matéria? Nos informe através do formulário abaixo: