fbpx

General Flynn exalta homilia do Cardeal Burke em advertência à América



Após uma homilia do Cardeal Raymond Burke no Santuário de Nossa Senhora de Guadalupe, em Wisconsin, na noite sábado (12/12), o General americano Michael Flynn fez um comentário, através de um tuíte, dizendo que o Cardeal “oferece uma forte homilia em advertência à América”.

Em um momento em que “precisamos estar próximos uns dos outros no amor cristão, as forças do mundo nos isolariam e nos fariam acreditar que estamos sozinhos, e dependentes das forças seculares, que nos tornariam escravos de sua agenda ímpia e assassina”, disse o Cardeal.

“Viemos a Nossa Senhora de Guadalupe no dia da sua festa com o coração angustiado e pesado. Nossa nação atravessa uma crise que ameaça seu próprio futuro como livre e democrático. A difusão mundial do materialismo marxista, que já trouxe destruição e morte para a vida de tantos, e que ameaçou as fundações de nossa nação por décadas, agora parece tomar o poder de governo sobre nossa nação”, começou Burke em sua homilia.

“Para obter ganhos econômicos, nós, como nação, permitimos que nos tornássemos dependentes do Partido Comunista Chinês, uma ideologia totalmente oposta aos fundamentos cristãos, sobre os quais as famílias e nossa nação permanecem seguras e prosperam”, continuou ele.

Burke falou especificamente dos Estados Unidos, mas “evidentemente, muitas outras nações estão passando por uma crise semelhante e alarmante”, disse ele.

“Depois, há o misterioso vírus Wuhan, sobre cuja natureza e prevenção a mídia de massa diariamente nos fornece informações conflitantes. O que está claro, entretanto, é que tem sido usado por certas forças, inimigas das famílias e da liberdade das nações, para fazer avançar sua agenda maligna. Essas forças nos dizem que agora somos os sujeitos da chamada ‘Grande Reinicialização’, o ‘novo normal’, que nos é ditado por sua manipulação dos cidadãos e das nações por ignorância e medo”, disse o cardeal.

“A resposta de muitos bispos e padres, e de muitos fiéis, manifestou uma lamentável falta de uma catequese sólida. Muitos na Igreja parecem não compreender como Cristo continua sua obra salvadora em tempos de peste e de outros desastres”, disse Burke.

“Além disso, nossa santa mãe Igreja, a noiva imaculada de Cristo, na qual Cristo está sempre trabalhando para nossa redenção eterna, é cercada por relatos de corrupção moral, especialmente em questões do sexto e sétimo mandamentos, que parecem aumentar a cada dia. Em nossa própria nação, os relatos sobre Theodore McCarrick têm justamente tentado muitos católicos devotos a questionar os pastores, que, de acordo com o plano de Cristo para a Igreja, devem ser seus guias seguros, ensinando as verdades da fé, guiando-os na adequada adoração a Deus e em oração a Ele, guiando-os por meio da disciplina perene da Igreja”, continuou.

Em vez disso, os fiéis muitas vezes “não recebem nada em resposta, ou uma resposta que não seja baseada nas verdades imutáveis ​​sobre fé e moral.”

“Eles recebem respostas que parecem vir não de pastores, mas de administradores seculares. A confusão quanto ao que a Igreja realmente ensina e exige de nós de acordo com o seu ensinamento gera divisões cada vez maiores no corpo de Cristo. Tudo isso paralisa a Igreja em sua missão de testemunhar a Verdade e o Amor divino, em uma época em que o mundo diz não precisar que a Igreja seja um farol”, declarou Burke.

“Ao encontrar o mundo, a Igreja quer falsamente acomodar-se ao mundo, em vez de chamar o mundo à conversão em obediência à lei divina escrita em cada coração humano e revelada em sua plenitude na encarnação redentora de Deus Filho”, ele adicionado.

O cardeal disse que esses problemas “representam um desafio formidável” para a vida cristã e produziram “o mais doloroso sofrimento”.

“Sim, o nosso coração está compreensivelmente pesado, mas Cristo, por intercessão da sua Virgem Mãe, eleva o nosso coração ao seu, renovando a nossa confiança nele, que nos prometeu a salvação eterna na Igreja. Ele nunca será infiel às suas promessas. Ele nunca vai nos abandonar”, concluiu Burke. “Não sejamos enganados pelas forças do mundo e por falsos profetas. Não abandonemos Cristo e busquemos nossa salvação em lugares onde ela dificilmente será encontrada.”

Ao comentar a homilia, o Genral Flynn disse que “o Cardeal Burke oferece uma forte homilia em advertência à América”. E ressaltou ainda a fala de Burle quando diz que, “para obter ganhos econômicos, nós nos permitimos tornar-nos dependentes [da China], uma ideologia oposta aos fundamentos cristãos sobre os quais as famílias e nossa nação permanecem seguras e prosperam”.

Colunistas

avatar for Juliana GurgelJuliana Gurgel

Católica, produtora, doutora em artes da cena, professora e aikidoista.

avatar for Paulo FernandoPaulo Fernando

Advogado, professor de Direito Constitucional e Eleitoral para concu...

avatar for Polibio BragaPolibio Braga

Políbio Braga é um jornalista e escritor brasileiro. Nascido em S...

Achou algum erro na matéria? Nos informe através do formulário abaixo: