fbpx

Huawei testa sistema de reconhecimento facial em massa



Após um relatório apresentar que o Partido Comunista Chinês (PCCh) está expandindo campos de concentração para muçulmanos uigures em Xinjiang, novo documento revelado nessa terça-feira (8/12) pelo jornal Washington Post aponta que a empresa chinesa Huawei está usando inteligência artificial para detectar uigures — pessoas de origem turcomena que fazem parte de uma minoria étnica na China.

Conforme o documento assinado por representantes da Huawei, aponta que a empresa de telecomunicações trabalhou em 2018 com a startup de reconhecimento facial Megvii, para testar um sistema de câmera de inteligência artificial que pudesse escanear rostos de várias pessoas em simultâneo, e estime a idade, sexo e etnia de cada pessoa. Caso o sistema detectasse um Uigur, um alarme seria enviado à polícia da China.

Em uma tentativa de se justificar, um representante da Huawei disse que o sistema de reconhecimento facial na China “é simplesmente um teste e não vimos nenhuma aplicação no mundo real. A Huawei só fornece produtos de uso geral para este tipo de teste. Não fornecemos algoritmos ou aplicativos personalizados”.

Até 2018, relatos indicam que o Partido Comunista Chinês prendeu cerca de 800 mil a 2 milhões de uigures para enviá-los a “centros de reeducação”. Conforme apontado pelo Engadget, esses centros são acusados de práticas violentas que incluem tortura e abuso sexual.

Sobre o Colunista

Brehnno Galgane

Brehnno Galgane

Graduando em Filosofia pela PUC-Rio, Católico e cultivador de uma narrativa que tenha sentido segundo a forma humana.

Comente

Clique aqui para comentar

Colunistas

Juliana GurgelJuliana Gurgel

Católica, produtora, doutora em artes da cena, professora e aikidoista.

Paulo FernandoPaulo Fernando

Advogado, professor de Direito Constitucional e Eleitoral para concu...

Polibio BragaPolibio Braga

Políbio Braga é um jornalista e escritor brasileiro. Nascido em S...

Achou algum erro na matéria? Nos informe através do formulário abaixo: