fbpx

Idosa morre com dengue e família denuncia certidão de óbito com suspeita de covid-19



Em Cruzeiro (SP), a idosa Maria de Fátima Macedo Euzébio, de 64 anos, faleceu na última quinta-feira (14) diagnosticada com dengue, mas foi colocada entre os casos de mortes suspeitas de covid-19.

O resultado do exame saiu dias depois da morte, dando negativo para a doença. Nas redes sociais, o filho da idosa falou sobre sua revolta com o caso.

“Gostaria de compartilhar com todos o grande sofrimento que toda família passou, no falecimento da minha mãezinha, no cumprimento de um um protocolo mal conduzido”, publicou.

De acordo com ele, a perda foi um grande trauma. “Minha mãe vinha sofrendo com dengue, ficou debilitada, e acabou acometida de uma pneumonia, sendo necessária sua internação”, explicou o filho.

Exame divulgado nas redes sociais

“Eis que quando recorremos à Santa Casa de Misericórdia de Cruzeiro, munidos dos exames e declarando a condição clínica da minha mãe, não nos deram nenhum direito à contestação, não nos deram a mínima atenção e por protocolo a internaram na área de isolamento com suspeita de COVID-19”, acrescentou ele.

Ainda conforme a publicação, em menos de 24 horas depois o falecimento foi confirmado e a declaração de óbito da Santa Casa saiu com registro de suspeita de COVID-19.

A idosa seguiu para sepultamento direto com caixão lacrado, sem que a família tivesse direito a um velório digno.

“Minha mãe não pode ser acompanhada por ninguém da família durante sua internação, direito que lhe assistia devido à sua idade. Minha mãe nos deixou com 64 anos. Tenho plena convicção que ainda estaria conosco se estivesse sido direcionada para ala comum e pudesse ser acompanhada por um familiar. Morreu sozinha, abandonada, da forma que mais temia, partiu sem direito a despedida, devido a um protocolo aplicado de forma incompetente. Lamentável, desumano, só agravou nosso sofrimento”, desabafou ainda o rapaz.

Com informações, Portal Cruzeiro

Sobre o Colunista

Bruna de Pieri

3 Comentários

Clique aqui para comentar

  • Esses são os médicos formados nos últimos16 anos de gestão vermelha , formados em porta de botecos em frente as faculdades

  • É, pelo visto, está confirmado que no Brasil e, principalmente, em São Paulo, não se morre mais de nenhuma outra doença a não ser pela Covid-19.
    E isto poderia ser evitado se aplicassem os remédios já existentes (vide case de sucesso da Prevent Senior).

Colunistas

avatar for Juliana GurgelJuliana Gurgel

Católica, produtora, doutora em artes da cena, professora e aikidoista.

avatar for Paulo FernandoPaulo Fernando

Advogado, professor de Direito Constitucional e Eleitoral para concu...

avatar for Polibio BragaPolibio Braga

Políbio Braga é um jornalista e escritor brasileiro. Nascido em S...

Achou algum erro na matéria? Nos informe através do formulário abaixo: