fbpx

Impeachment de Trump tentou fazer dos seus eleitores criminosos, diz deputado republicano



O deputado republicano, Mike Johnson, afirmou no último domingo (14) que os democratas usaram o impeachment do ex-presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, como uma ferramenta para pintar todos os seus apoiadores com o pincel da criminalidade relacionada à violação do Capitólio no dia 6 de janeiro.

A declaração de Johnson foi feita ao jornal Breitbart News durante uma entrevista.

“Eles realmente queriam usar o impeachment como um veículo, porque queriam igualar todas aquelas dezenas de milhões de eleitores de Trump, seus apoiadores e todos que vieram ao comício às duzentas criminosos que entraram e saquearam o Capitólio”, disse Johnson ao jornal.

Questionado sobre o futuro do impeachment, Johnson disse que ele se tornaria cada vez mais uma ferramenta de brigas partidárias.

“Transformaram isso em uma arma. Uma arma política a ser usada pelo partido da maioria contra um presidente de quem não gosta. Abriram uma caixa de Pandora que talvez nunca mais possamos fechar”, declarou.

“O que [os democratas] tentaram fazer [foi] elevar a ‘cultura de cancelamento’ agora a um nível constitucional”, acrescentou Johnson, ecoando observações feitas na sexta-feira (12) por David Schoen, um dos três advogados de Trump que acusou os democratas de usarem o impeachment como uma ferramenta para desqualificar oponentes políticos, conforme noticiou o Terça Livre.

“Em suma, esse esforço sem precedentes não é sobre democratas se opondo à violência política. É sobre democratas tentando desqualificar outra oposição política. É cultura de cancelamento constitucional”, disse o advogado durante a sessão.

No sábado, o Senado votou 57-43 para absolver Trump, 10 votos a menos dos 67 necessários para a condenação.

A votação inocentou Trump da acusação de “incitamento à insurreição”, uma acusação que seus advogados denunciaram como uma “mentira monstruosa” que não refletia a realidade do que aconteceu em 6 de janeiro, quando o Capitólio foi violado.

“Uma insurreição – ao contrário de um motim – é um movimento organizado agindo com o propósito expresso de derrubar e tomar posse dos poderes de um governo”, escreveram os advogados de Trump nos arquivos, argumentando que o discurso do ex-presidente “não foi um ato que encorajou um movimento organizado a derrubar o governo dos Estados Unidos. ”

A absolvição de Trump foi amplamente vista como uma conclusão precipitada antes do julgamento, depois que 45 republicanos votaram para declarar o processo inconstitucional.

Em um comunicado após sua absolvição, Trump denunciou o esforço de impeachment e agradeceu a seus apoiadores.

“Esta foi mais uma fase da maior caça às bruxas da história do nosso país”, disse o ex-presidente.

“Também quero transmitir minha gratidão aos milhões de cidadãos decentes, trabalhadores, cumpridores da lei e amantes de Deus e do país que corajosamente apoiaram esses princípios importantes nestes tempos muito difíceis e desafiadores”, disse ele.

The Epoch Times.

Assine já o Terça Livre Juntos: tercalivrejuntos.com.br.

Assista os nossos Boletins no Facebook e no Instagram.

Colunistas

avatar for Juliana GurgelJuliana Gurgel

Católica, produtora, doutora em artes da cena, professora e aikidoista.

avatar for Paulo FernandoPaulo Fernando

Advogado, professor de Direito Constitucional e Eleitoral para concu...

avatar for Polibio BragaPolibio Braga

Políbio Braga é um jornalista e escritor brasileiro. Nascido em S...

Achou algum erro na matéria? Nos informe através do formulário abaixo: