fbpx

Indicado para o STF já foi alvo de 33 representações no CNJ

Kassio Nunes


Indicado pelo presidente Jair Bolsonaro para assumir uma vaga no Supremo Tribunal Federal (STF), o desembargador Kassio Marques já foi alvo de 33 representações no Conselho Nacional de Justiça (CNJ). Desse total, 32 foram motivadas por atraso nos processos. Uma das representações, sob sigilo, teve como motivo falha disciplinar.

Marques possivelmente ocupará a cadeira do ministro do STF Celso de Mello, que vai se aposentar no próximo dia 13 de outubro.

Os processos no CNJ contrariam o que têm dito, reservadamente, os ministros do governo Jair Bolsonaro. Para eles, Marques tem como marca a agilidade no julgamento de ações.

Em entrevista ao Anuário da Justiça Federal de 2019, concedida ao portal jurídico ConJur, o próprio desembargador – à época vice-presidente do Tribunal Regional Federal da 1.ª Região (TRF-1) – apontou a produtividade como uma de suas características. Disse, por exemplo, que proferia mais de 600 decisões por dia.

A informação de que o desembargador havia sido alvo de representações no CNJ foi divulgada nesta quinta-feira (1/10). O colegiado confirmou que todos os processos abertos contra Marques são referentes a atrasos.

Em alguns casos, o CNJ determinou que o Tribunal Regional Federal da 1.ª Região, onde o desembargador atua, tome providências para resolver os problemas relacionados à demora nos julgamentos.

Com informações, Terra

Sobre o Colunista

Brehnno Galgane

Brehnno Galgane

Graduando em Filosofia pela PUC-Rio, Católico e cultivador de uma narrativa que tenha sentido segundo a forma humana.

Comente

Clique aqui para comentar

Colunistas

Juliana GurgelJuliana Gurgel

Católica, produtora, doutora em artes da cena, professora e aikidoista.

Paulo FernandoPaulo Fernando

Advogado, professor de Direito Constitucional e Eleitoral para concu...

Polibio BragaPolibio Braga

Políbio Braga é um jornalista e escritor brasileiro. Nascido em S...