fbpx

J&F confessa que houve corrupção e acorda pagar multa de US$ 155 milhões aos EUA



A JBS, empresa brasileira de frigoríficos e proteína animal, afirmou aos operadores de mercado, nesta quarta-feira (14), que fechou 2 acordos nos Estados Unidos, para o pagamento de multa depois de ter cometido atos de corrupção.

Segundo noticiou o jornal Poder 360, a mensagem encaminhada ao mercado financeiro indica que a empresa, comandada pelo grupo J&F, zerou as pendências com as autoridades americanas.

Às 13h30, a companhia registrava a maior alta do Ibovespa, principal índice da B3 (Bolsa de Valores de São Paulo): de 5,24%.

O grupo vai desembolsar US$ 155.135.078 em multas, o que equivale a R$ 865 milhões na cotação atual do dólar (R$ 5,58).

O primeiro acordo, feito com o Departamento de Justiça dos EUA (DOJ, na sigla em inglês), trata sobre violações das leis norte-americanas devido a condutas irregulares que foram objeto do acordo de leniência da J&F e o Ministério Público Federal.

Nesse processo, os executivos Wesley Batista e Joesley Batista também assinaram acordo de delação premiada. Os dois empresários já foram presos e investigados na Lava Jato. A JBS também foi alvo de investigações na mesma operação.

A J&F declarou-se culpada por violar a Lei de Práticas de Corrupção no Exterior. Pagará US$ 128.248.513, o que corresponde a R$ 715 milhões.

Essa cifra era maior. Somava US$ 256.497.026 (ou R$ 1,43 bilhão). Mas J&F pagará 50% deste total porque já ressarciu autoridades do Brasil.

“A JBS não é parte do Acordo DOJ e não arcará com quaisquer obrigações dele decorrentes”, disse o comunicado. O acordo com o Departamento de Justiça dos EUA põe fim a qualquer exposição criminal do grupo no país norte-americano e de todas as suas afiliadas.

O segundo acordo trata somente da JBS. Foi assinado com a SEC (Securities and Exchange Commission), a CVM (Comissão de Valores Mobiliários) dos Estados Unidos. A empresa reconheceu que falhou em manter os registros contábeis e terá que pagar US$ 26.886.565 (R$ 150 milhões).

A JBS deverá, pelos próximos 3 anos, revisar, avaliar e informar à SEC sobre a “efetividade das políticas anticorrupção, procedimentos, práticas, controles internos e manutenção de registros e processos de reportes financeiros da JBS e de quaisquer emissores de valores mobiliários nos Estados Unidos que estejam sob o controle direto ou indireto da JBS.”

O acordo também encerra penalidades legais para a JBS nos Estados Unidos sobre o tema.

A JBS e seus acionistas controladores disseram que estão comprometidos com as melhores práticas corporativas e com a cooperação com as autoridades em todas as jurisdições em que operam.

“Os acordos ora noticiados representam 1 passo importante nos esforços contínuos de melhora dos seus programas de compliance e governança corporativa”, disse o comunicado.

Colunistas

Juliana GurgelJuliana Gurgel

Católica, produtora, doutora em artes da cena, professora e aikidoista.

Paulo FernandoPaulo Fernando

Advogado, professor de Direito Constitucional e Eleitoral para concu...

Polibio BragaPolibio Braga

Políbio Braga é um jornalista e escritor brasileiro. Nascido em S...