fbpx

Lotes da vacina chinesa chegaram em São Paulo

Foto: Governo de SP


Chegaram nesta quinta-feira (19), em São Paulo, 120 mil doses da vacina chinesa produzida em conjunto pelo laboratório Sinovac e o Instituto Butantan. Este é o primeiro lote da vacina, que ainda não está aprovada para uso em humanos.

O material veio ao Brasil em um voo da China e desembarcou no Aeroporto Internacional de Guarulhos em São Paulo. Acompanharam a chegada das doses o governador João Doria (PSDB), o diretor do Instituto Butantan, Dimas Covas e o secretário estadual de Saúde, Jean Gorinchtey.

O governo de São Paulo firmou acordo para a compra de 46 milhões de doses e para a transferência de tecnologia para o Instituto Butantan.

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), entretanto, ainda não autorizou a utilização da vacina, que está na terceira fase de testes, quando é aplicada em humanos. Até o momento a vacina mostrou segurança e eficácia, segundo os estudos, informou a Agência Brasil.

Dois dias antes de a vacina chinesa pousar no Brasil, em 17 de novembro, a Anvisa aprovou o chamado “procedimento de submissão contínua de dados técnicos para o registro de vacinas contra Covid-19”, que vai “acelerar” a produção das doses.

Ainda de acordo com a Agência, “os diretores também validaram a dispensa de análise de impacto regulatório e consulta pública devido ao grau de urgência e gravidade, caracterizadas por situação de iminente risco à saúde e necessidade de atuação imediata”.

Leia também: Inspetores da Anvisa tem data marcada para ir à China

O assunto foi tema do Boletim da Manhã desta quinta-feira. Assista:

Colunistas

Juliana GurgelJuliana Gurgel

Católica, produtora, doutora em artes da cena, professora e aikidoista.

Paulo FernandoPaulo Fernando

Advogado, professor de Direito Constitucional e Eleitoral para concu...

Polibio BragaPolibio Braga

Políbio Braga é um jornalista e escritor brasileiro. Nascido em S...