fbpx

Mais de 50 ativistas pró-democracia são presos pelo regime chinês em Hong Kong



Em mais um ato ditatorial o regime comunista da China prendeu, na manhã desta quarta-feira (06), no horário local do país, mais de 50 ativistas pró-democracia em Hong Kong.

Este seria, até o momento, o maior ato de Pequim contra os cidadãos de Hong Kong, utilizando-se da polêmica lei de segurança. Pelo menos 1000 policiais foram acionados para a operação.

O motivo das prisões seria porque os cidadãos teriam desrespeitado o artigo 22 da nova lei de segurança nacional imposta pelo PCCh em junho de 2020, ao defenderem ou participarem das eleições primárias do Partido Democrático, informou o portal RTHK.

Entre os alvos estão ex-parlamentares, como Andrew Wan, James To e Lam Cheuk Ting, a jornalista Gwyneth Ho e a vereadora Tiffany Yuen.

Tian Beichen, membro do Conselho Legislativo de Hong Kong, pediu nesta quarta-feira, que a polícia explique claramente o motivo das prisões, já que nenhuma declaração foi dada.

Assista os comentários dessa notícia no Boletim da Manhã desta quarta-feira:

Colunistas

avatar for Juliana GurgelJuliana Gurgel

Católica, produtora, doutora em artes da cena, professora e aikidoista.

avatar for Paulo FernandoPaulo Fernando

Advogado, professor de Direito Constitucional e Eleitoral para concu...

avatar for Polibio BragaPolibio Braga

Políbio Braga é um jornalista e escritor brasileiro. Nascido em S...

Achou algum erro na matéria? Nos informe através do formulário abaixo: