fbpx

Marco do saneamento vai a votação nesta quarta



O Projeto de Lei (PL) 4.162/2019, que estabelece um novo marco legal para o setor de saneamento básico, deve ser votado nesta quarta-feira (24), às 16h, pelo Senado.

O senador Tasso Jereissati (PSDB-CE) apresentou seu relatório na última sexta-feira (19), sem propor alterações no projeto, aprovado pela Câmara dos Deputados no ano passado.

Para o relator, o novo marco legal para o saneamento pode impulsionar novos investimentos e auxiliar na retomada econômica do país. A nova regulamentação do saneamento está em discussão desde 2018.

Se a versão atual do projeto, que já foi aprovada na Câmara, for aceita sem alterações, o texto seguirá para sanção presidencial. Nesta semana, Jair Bolsonaro disse que a aprovação do marco é uma prioridade.

Atualmente, cerca de 100 milhões de brasileiros estão sem acesso à coleta de esgoto e 35 milhões não estão abastecidos com água potável. E, para que isso seja resolvido, as projeções variam entre R$ 400 bilhões e R$ 600 bilhões em investimentos até 2033.

De acordo com o site Infomoney, os números que mostram a deficiência do Brasil em saneamento, considerado o mais atrasado de todos no segmento de infraestrutura nacional, indicam a emergência de reverter a estatística estarrecedora de apenas 51,9% da população com esgoto e 83,3% com água tratada

“O quadro dificilmente será revertido no curto prazo, mas o novo marco regulatório do setor  pode impulsionar os investimentos em saneamento e, inclusive, liderar a retomada de investimentos no país no pós-coronavírus”, analisa o site.

“A expectativa é de que a aprovação do marco do saneamento aumente a segurança jurídica dos investidores, um dos mecanismos para atrair investimentos privados básicos para o setor, além de estabelecer metas de qualidade e cobertura dos serviços, assim como fortalecer a Agência Nacional de Águas (ANA) para elaborar diretrizes do setor e supervisionar a regulamentação estadual/municipal”, completa.

Atualmente, 52 agências fazem a regulamentação do segmento, tornando a regulação bastante dispersa e afastando capital.

Com informações, Agência Senado e Infomoney

Colunistas

Juliana GurgelJuliana Gurgel

Católica, produtora, doutora em artes da cena, professora e aikidoista.

Paulo FernandoPaulo Fernando

Advogado, professor de Direito Constitucional e Eleitoral para concu...

Polibio BragaPolibio Braga

Políbio Braga é um jornalista e escritor brasileiro. Nascido em S...