fbpx

Ministro Alexandre de Moraes anula processo contra Michel Temer e Moreira Franco em vara do RJ

Reprodução


O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Alexandre de Moraes, decidiu nos últimos dias que a 7ª Vara Federal Criminal do Rio de Janeiro é incompetente para julgar os processos contra o ex-presidente da República, Michel Temer, e o ex-ministro de Minas e Energia, Moreira Franco.

Os processos fazem parte da Força Tarefa da Lava Jato do Rio de Janeiro no âmbito da Operação Descontaminação e foram encaminhados à 12ª Vara Federal do Distrito Federal.

A decisão do magistrado anula as decisões do juiz Marcelo Bretas, responsável pela Lava Jato no Rio de Janeiro.

As investigações apuravam uma solicitação e recebimento de vantagem indevida em benefício de integrantes da cúpula do partido MDB, o chamado “QUADRILHÃO DO PMDB.”

“DECLARO, ainda, como consequência do artigo 567 do Código de Processo Penal, a nulidade apenas dos atos decisórios praticados na respectiva ação penal, inclusive o recebimento da denúncia, devendo o juízo competente decidir acerca da possibilidade, se o caso, da convalidação dos atos instrutórios”, declarou o ministro Alexandre de Moraes em sua decisão.

O pedido foi realizado pela defesa que argumentou que a competência da ação era da Justiça do DF, pois já havia uma decisão precedente nesse sentido no STF, sobre o agravo regimental no Inquérito 4.327, também relacionado ao esquema de corrupção.

De acordo com o ministro Alexandre de Moraes, a denúncia realizada pelo Ministério Público Federal (MPF) afirmava que os crimes estariam relacionados com outras condutas denunciados na operação “descontaminação” e sobre a cúpula do partido, o que já demonstraria a correlação dos autos com os fatos em investigação na Justiça do Distrito Federal.

“A decisão do ministro Alexandre de Moraes corrige uma grave ilegalidade que vinha sendo cometida contra o ex-ministro Moreira Franco na Justiça Federal no Rio ao manter lá acusações que, por determinação do próprio STF, deveriam estar sendo conduzidas em Brasília”, argumentou o advogado Fabio Tofic Simantob, que representa Moreira Franco.

Alexandre de Moraes foi Ministro da Justiça e Segurança Pública do governo Michel Temer em 2016, e em 2017 foi indicado pelo ex-presidente para assumir uma vaga no Supremo Tribunal Federal.

Durante o Boletim da Manhã nesta quarta-feira (21), o analista político Italo Lorenzon comentou a decisão do ministro do STF relembrando a atuação dos magistrados indicados por determinados políticos, que acabam por atuar em favor desses.

“Os indicados do PT salvam a pele do Lula. O indicado do Temer salva a pele do Temer. Só no Brasil é considerado normal o réu indicar o juiz”, reiterou o jornalista em uma publicação em seu perfil do Twitter.

LEIA NA ÍNTEGRA A DECISÃO DO MINISTRO ALEXANDRE DE MORAES.

ASSISTA AO BOLETIM DA MANHÃ DESSA QUARTA-FEIRA (21):

Colunistas

avatar for Juliana GurgelJuliana Gurgel

Católica, produtora, doutora em artes da cena, professora e aikidoista.

avatar for Paulo FernandoPaulo Fernando

Advogado, professor de Direito Constitucional e Eleitoral para concu...

avatar for Polibio BragaPolibio Braga

Políbio Braga é um jornalista e escritor brasileiro. Nascido em S...

Achou algum erro na matéria? Nos informe através do formulário abaixo: