fbpx

Movimento conservador brasileiro terá de alcançar a maturidade ou morrer, aponta Filipe Martins



“Em 2020, o movimento conservador brasileiro terá de alcançar a maturidade ou morrer”, afirmou nesta quinta-feira (2) o assessor especial da Presidência da República para assuntos internacionais, Filipe G. Martins.

Para o assessor, o povo ajudou a eleger um presidente, mas, internamente, houve o que Filipe classificou como uma tremenda confusão mental. “Se isso não mudar, perderemos a guerra no longo prazo — que é o que de fato importa”, ponderou.

Na visão do assessor especial da presidência, “é preciso compreender melhor a dinâmica do processo decisório dentro do governo, identificando a composição das forças capazes de exercer pressão e influência durante esse processo e trabalhar para tornar o movimento conservador uma das mais importantes variáveis nessa equação”.

Filipe concluiu afirmando que a meta não será alcançada com atitudes imaturas, nem com as críticas baseadas em expectativas irreais, nem com os aplausos acríticos e as explicações mirabolantes para justificar qualquer decisão. “Isso só se alcançará com maturidade”, declarou.

Sobre o Colunista

Bruna de Pieri

Bruna de Pieri

Esposa, jornalista, tupãense e católica. 23 anos.

1 Comentário

Clique aqui para comentar

Colunistas

Juliana GurgelJuliana Gurgel

Católica, produtora, doutora em artes da cena, professora e aikidoista.

Paulo FernandoPaulo Fernando

Advogado, professor de Direito Constitucional e Eleitoral para concu...

Polibio BragaPolibio Braga

Políbio Braga é um jornalista e escritor brasileiro. Nascido em S...

Achou algum erro na matéria? Nos informe através do formulário abaixo: