fbpx
greta, imbecil juvenil

Nas mãos desastrosas da juventude



O que há em comum entre nazismo, comunismo, fascismo, seitas pseudo-religiosas, consumo de drogas e boa parte dos recordes do livro guinness?

O impulso desordenado de razão, a virulência dos corpos em descobrimento de sua crescente força, as lentes de inversão completa da realidade, a ausência de sabedoria, o egoísmo e o rancor de que são dotados os jovens.

Imagine a ojeriza das senhoras ao se darem conta de que seus mimos e permissividades na criação dos seus pimpolhos podem ser tão danosos ao mundo. De fato o são.

Não só são um espinho na carne da família, não só são uma presença incômoda e inconveniente que você aguenta durante as ceias de fim de ano.

Esses jovens desmiolados que causam aflição aos próprios pais são os mesmos militantes que energicamente defendem bandidos, propagam valores destrutivos, sacrificam a si e aos seus pares em nome de uma revolução e rompimento com a tradição.

É o mesmo juvenil imbecil que embriagado pelos ideais progressistas influencia uma turba de outros imbecis a cancelar a pessoa que não pensa como ele, a destruir a sua imagem, a interromper seu meio de subsistência, a ceifá-la, agressivamente, em todos os aspectos.

Os jovens não são naturalmente ruins, mas são naturalmente, e por definição, idiotas. Uma vez que não possuem um horizonte de consciência amplo, devido à falta de experiência de vida e pelo pouco tempo de acúmulo de cultura, depreendem os conceitos e objetos que os cercam, mas não compreendem como se articulam entre si.

Da mesma forma que as crianças ao serem alfabetizadas começam a assimilar as letras aos fones, os jovens mal conseguem ler a realidade, sua complexidade e pormenores.

No livro Maquiavel pedagogo fica claro como o desejo de conformidade a um grupo leva um indivíduo a uma dissonância cognitiva, isto é, uma contradição entre elementos de sua psique, valores, sentimentos, opiniões, recordações e fatos de seu conhecimento.

Embora esse desejo abarque todas as idades, nos jovens se faz evidente. O sentimento de pertencimento ao rebanho, somado ao discernimento enfraquecido sobre a realidade, os fazem a massa de manobra ideal de qualquer movimento ideológico. É por isso que após Gramsci viraram um público de grande estima dos esquerdistas, nas universidades, no meio artístico e em todo canto onde haja revolta.

Segundo o autor do livro, Pascal Bernardin, a constatação de que as opiniões modificam os atos bem como os atos modificam as opiniões é de suma importância para que se torne visível a verdadeira motivação da reforma do sistema educacional mundial.

A educação pública foi uma estratégia revolucionária para a transformação social, colocando sob o cuidado do estado a função de educar os filhos da sociedade, conforme seus valores e interesses, independentemente da verdade ou da razão.

O ponto de maior relevância do plano era o afastamento das crianças de suas famílias, que segundo a “primeira autora feminista” Mary Wollstonecraft, eram incapazes de educá-las.

Nota-se que o crescente interesse das escolas pela instauração das transgressões à gramática brasileira sob título de variação linguística; e a perturbação da identidade dos jovens por meio da ideologia de gênero são rastros ideológicos que os afastam da boa e velha tradição.

O distanciamento do legado histórico da Europa e do mundo, ou seja, de uma perspectiva histórica, concreta e segura, resulta em uma sociedade cega, perdida e faminta de orientação, que tateando sobre questões milenares, recai em seus próprios enganos várias vezes. Empacada, sem um apurado senso de hierarquia e de proporções, na feira das futilidades e padronizações, onde os clássicos não vivem.

O professor Olavo de Carvalho conclui em “O imbecil juvenil” que a covardia dos adultos ao conceder autoridade aos jovens é a causa dos maiores erros e perversidades do século passado.

“São sempre os jovens que estão um passo à frente na direção do pior. Um mundo que confia seu futuro ao discernimento dos jovens é um mundo velho e cansado, que já não tem futuro algum”.

Cabe aos adultos a condução dessa energia ingênua e perigosa que carregam os jovens. Cabe aos pais o regramento, a educação dos valores cristãos, a conscientização sobre seus atos e por conseguinte a responsabilidade que sucede as consequências.

Cabe aos adultos a realização das tarefas lentas e teimosas de milhões de ações anônimas, da leitura, da instrução, da educação da vontade e da busca incessante pela cultura, pelos clássicos.

“Cada época é salva por um pequeno punhado de homens que têm a coragem de não serem atuais”. G.K Chesterton

Sobre o Colunista

Italo Lorenzon

Analista Político e co-fundador e apresentador do Terça Livre. Rioclarense, cervejeiro e canceriano, não necessariamente nessa ordem.

Comente

Clique aqui para comentar

Colunistas

avatar for Juliana GurgelJuliana Gurgel

Católica, produtora, doutora em artes da cena, professora e aikidoista.

avatar for Paulo FernandoPaulo Fernando

Advogado, professor de Direito Constitucional e Eleitoral para concu...

avatar for Polibio BragaPolibio Braga

Políbio Braga é um jornalista e escritor brasileiro. Nascido em S...

Achou algum erro na matéria? Nos informe através do formulário abaixo: