fbpx

‘Nem Tudo se Desfaz’: novo filme de Josias Teófilo abordará causas da eleição de Bolsonaro



Josias Teófilo se prepara para lançar uma nova obra, o documentário “Nem Tudo se Desfaz”. O filme deve chegar aos cinemas em junho deste ano. Em entrevista ao Boletim da Manhã desta quinta-feira (15), o cineasta revelou que seu novo filme abordará as causas da eleição do presidente Jair Bolsonaro.

A obra contará com 25 entrevistados, entre eles Steve Bannon, estrategista-chefe da Casa Branca no governo Trump. Josias é diretor do filme “O Jardim das Aflições” — obra vencedora de três premiações e inspirada no livro homônimo do professor Olavo de Carvalho.

“Se fosse para resumir em uma frase, eu diria que [o filme] é sobre as causas da eleição do Bolsonaro. Só que remontamos a eleição dele às manifestações de 2013, que foram convocadas pela esquerda, mas que se transformaram em uma coisa muito maior”, comentou Josias Teófilo.

“A população em geral agregou, participou, a esquerda perdeu o controle e até hoje eles odeiam 2013, se arrependem daquilo, porque, de fato, muita gente na esquerda e na direita reconhece como a causa originária da eleição de Bolsonaro aquelas manifestações que foram totalmente disruptivas e têm um caráter revolucionário mesmo. Essa é a minha tese principal, de que Bolsonaro é herdeiro do movimento revolucionário de 2013”, acrescentou.

Ainda de acordo com ele, Bannon afirma no depoimento que a eleição de Bolsonaro foi um marco global para o movimento populista. “É preciso lembrar que a palavra ‘populista’, para ele, não tem o sentido pejorativo que tem no Brasil, poderíamos até trocar por ‘movimento popular’, que seria um termo mais exato”, pontua o cineasta.

Além de Bannon, a obra contará ainda com participações de Olavo de Carvalho, o assessor especial para assuntos internacionais do Governo Federal, Filipe Martins, o vereador Carlos Bolsonaro e até mesmo nomes da esquerda como Idelber Avelar e João Cezar de Castro Rocha.

“[Eles] fazem interpretações muito boas sobre a decadência do petismo, sobre as manifestações de 2013, eles estudaram profundamente esses movimentos”, salienta Teófilo.

“Nem Tudo se Desfaz” abordará também o nascimento da nova direita, repercutindo a importância dos memes. “Não sei de outro filme que fale sobre a importância dos memes na política, pelo menos no Brasil. Porque, claro, o cinema documentário brasileiro está ainda focado em fazer filmes sobre Tropicália, ditadura e o impeachment da Dilma, são basicamente esses três temas, não tem nada além disso, que eu vejo”, diz o cineasta, que já está produzindo dois outros filmes.

Presença cultural

Josias frisou também a importância da cultura e de existir uma “presença” da direita nesse meio. “A cultura é importantíssima, não é à toa que Lenin dizia que de todas as artes o cinema é a mais importante. Na União Soviética existia o Ministério do Cinema, além do Ministério da Cultura. E por quê? Porque o cinema nos envolve por todos os lados, o som, a imagem, e ele tem um grande poder persuasivo.”

“Não é à toa que a esquerda se utiliza tanto do cinema, tem tantos grandes filmes sobre o impeachment da Dilma, sobre a ditadura, eles criaram todo um imaginário sobre a história brasileira a partir disso. Porque de fato é importante. A cultura é o que molda o nosso imaginário, todas as nossas referências e como a gente vai agir, inclusive politicamente”, acrescentou.

Assista à íntegra da entrevista

Sobre o Colunista

Bruna de Pieri

Comente

Clique aqui para comentar

Colunistas

avatar for Juliana GurgelJuliana Gurgel

Católica, produtora, doutora em artes da cena, professora e aikidoista.

avatar for Paulo FernandoPaulo Fernando

Advogado, professor de Direito Constitucional e Eleitoral para concu...

avatar for Polibio BragaPolibio Braga

Políbio Braga é um jornalista e escritor brasileiro. Nascido em S...

Achou algum erro na matéria? Nos informe através do formulário abaixo: