fbpx

Nikolas Ferreira protocola notícia-crime contra Ciro Gomes e Marcelo Freixo no STF



O vereador de Belo Horizonte, Minas Gerais, Nikolas Ferreira anunciou no último dia 21, que entraria com um processo de notícia-crime contra o Ciro Gomes (PDT), Marcelo Freixo (Psol) e Marcello Tamaro Yamaguchi Guedes no Supremo Tribunal Federal (STF) por ataques ao presidente da república, Jair Messias Bolsonaro.

“Semana passada o STF sedimentou o entendimento de que todo aquele que ofende autoridade protegida pela lei de segurança nacional deve ser enquadrado criminalmente, mas não somente os ministro do STF possuem tal proteção, os presidentes da Câmara, do Senado e o presidente da república também. Portanto, eu elaborei aqui uma notícia-crime postulatórias pedindo a prisão em flagrante do Ciro Ferreira Gomes, Marcelo Freixo e o Marcello Tamaro Yamaguchi Guedes”, declarou Nikolas em seu perfil no Twitter.

A denúncia contra Ciro Gomes, opositor de Bolsonaro é baseada em um vídeo onde o pedetista diz abertamente que se Bolsonaro “tentar um golpe nós daremos a ele o destino que teve Mussolini. Eu, Ciro Gomes, assumo, como palavra de honra, que estarei na luta de um ou de dez, ou de mil para dar a ele o destino de Mussolini”.

Além de comparar Bolsonaro a um fascista, Gomes ainda incitou a morte do presidente com uma execução, assim como ditou o ‘destino’ de Mussolini.

A declaração de Ciro foi feita no dia 19 de fevereiro, durante uma live no canal da Rede TVT, em que estavam presentes Tarso Genro, Wilson Ramos e Sandra Bittencourt.

Marcelo Freixo é alvo da notícia-crime por também projetar a morte de Jair Bolsonaro através de dois tuítes publicados em seu perfil no último dia 15 de janeiro, onde o deputado federal pelo PSOL declarava “É impeachment ou morte” e um segundo post onde acusava Bolsonaro de ser um “genocida”, no dia 13 de outubro de 2020.

A primeira publicação citada na notícia-crime, Freixo acabou excluindo após repercussão anterior a denúncia de Nikolas.

Os dois fazem parte da extrema-esquerda brasileira que vem tentando derrubar o governo federal através de diversos ataques.

A denúncia de Nikolas Ferreira vem na esteira da prisão “em flagrante” inconstitucional do deputado federal Daniel Silveira, decretada pelo ministro Alexandre de Moraes.

Na decisão de Moraes, referendada pelos outros ministros do STF, o parlamentar cometeu crime contra a segurança nacional por críticas os ministros que acreditam ter cadeiras de juízes de um suposto Olimpo brasileiro.

Além de Ciro e Freixo, Nikolas também denunciou Marcello Tamaro Yamaguchi Guedes empresário que comercializou uma réplica da cabeça decapitada de Jair Bolsonaro.

“Isso é obviamente atenta contra a vida e contra a instituição que é o governo federal”, afirmou Nikolas a Folha de São Paulo.

O vereador conservador ainda argumentou que como a prisão em flagrante de Silveira foi motivada por um vídeo que ainda circula na internet, Ciro Gomes também deveria ser indiciado por suas falas em vídeo.

“O meu papel aqui, como fiscalizador da lei, é simplesmente pedir isonomia, igualdade para que de fato, da mesma maneira como há uma decisão do Supremo Tribunal Federal contra o deputado Daniel Silveira, também o entendimento seja estendido para os demais parlamentares, ex-parlamentares e esse rapaz que vende cabeça do presidente em suas redes sociais”, completou o vereador.

Até o momento, o STF e seus ministros não se pronunciaram sobre a abertura de uma investigação.

Colunistas

Juliana GurgelJuliana Gurgel

Católica, produtora, doutora em artes da cena, professora e aikidoista.

Paulo FernandoPaulo Fernando

Advogado, professor de Direito Constitucional e Eleitoral para concu...

Polibio BragaPolibio Braga

Políbio Braga é um jornalista e escritor brasileiro. Nascido em S...

Achou algum erro na matéria? Nos informe através do formulário abaixo: