fbpx

Número de pessoas em situação de rua em Porto Alegre aumentou em 2020, afirma Fundação



O portal de notícias Gaúcha Zero Hora (GZH), noticiou no último dia 04 que dados da Fundação de Assistência Social e Cidadania (Fasc) apontaram um crescimento no número de pessoas em situação de rua em Porto Alegre, no Rio Grande do Sul.

Dos anos de 2019 para 2020 houve o aumento de 1075 pessoas nas ruas da capital do RS, afirmou Cátia Lara Martins, presidente da Fasc.

Apesar dos dados não conseguirem ser 100% preciso, a Fundação conseguiu contabilizar que cerca de 3.850 pessoas estão morando nas ruas de Porto Alegre.

Esse número aponta o crescimento de 38,73% em relação aos dados de 2019, “quando a Fundação de Assistência Social e Cidadania (Fasc) estimou a população de rua em 2.775 pessoas.”

De acordo com a própria Fundação a média de novas pessoas nas ruas há dois anos era de 350 por ano, o que comprova mais um impacto negativo das medidas locais de restrições tomadas pela prefeitura e governo do estado durante a pandemia do coronavírus.

“Os balanços da fundação são baseados nas abordagens de 12 equipes da Fasc que circulam pelas ruas da cidade e oferecem assistência”, noticiou o GZH.

Em entrevista à Rádio Gaúcha na manhã da última quinta-feira (04), a presidente da Fasc, comentou ainda sobre os motivos principais que levam a maioria das pessoas a irem para as ruas.

Cátia ainda apontou que foi possível notar também o crescimento no número de crianças e adolescentes nas ruas, principalmente porque escolas e outros centros de apoio e proteção estiveram fechados nos últimos meses.

“Estar na rua é estar vulnerável, uma vulnerabilidade causada por diversos fatores (…) como desorganização familiar, uso e dependência de álcool e de substâncias psico-ativas e a falta de emprego têm levado muitas pessoas para as ruas”, declarou.

“Nós temos um recorte de que homens de 25 a 45 anos são hoje a predominância. Então é preciso trabalhar diversas políticas além da assistência social, como geração de emprego e moradia”, completou a presidente da Fasc.

Mesmo com esses dados, o governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite, decretou ontem (05) novas medidas de restrições em todo o estado, proibindo diversas atividades comerciais, que podem gerar, mais uma vez, resultados negativos para a população riograndense.

O TERÇA LIVRE ESTÁ DE VOLTA NO YOUTUBE, SE INSCREVA:

Sobre o Colunista

Bruna Lima

Bruna Lima

1 Comentário

Clique aqui para comentar

  • Culpa exclusiva do GOVERNADOR por causa de suas MEDIDAS RESTRITIVAS (LOCKDONWS). Provocou DESEMPREGO E EMPOBRECIMENTO DA POPULAÇÃO GAÚCHA.

Colunistas

Juliana GurgelJuliana Gurgel

Católica, produtora, doutora em artes da cena, professora e aikidoista.

Paulo FernandoPaulo Fernando

Advogado, professor de Direito Constitucional e Eleitoral para concu...

Polibio BragaPolibio Braga

Políbio Braga é um jornalista e escritor brasileiro. Nascido em S...

Achou algum erro na matéria? Nos informe através do formulário abaixo: