fbpx

OMS quer finalizar o enterro do Brasil: ‘Só supera pandemia com medidas agressivas’



A Organização Mundial da Saúde quer finalizar o enterro do Brasil. O diretor diretor-geral da OMS, Tedros Ghebreyesus Adhanom, disse nesta sexta-feira (5) que o país só supera a pandemia com “medidas sociais agressivas”.

Estados e municípios em diversas partes do país decretaram medidas ainda mais restritivas — e sem comprovação científica — com a alegação de conter a pandemia da peste chinesa.

As mesmas medidas foram adotadas durante todo o ano de 2020 e só serviram para causar desemprego, levar empresas à falência, devastar a economia do país, sem impedir a propagação do vírus, como é nítido. Mesmo assim, governadores e prefeitos insistem usar mais uma vez os mesmos métodos.

Para ajudar ainda mais esse cenário, Tedros Adhanom disse que o Brasil é uma ameaça à América Latina, pois enquanto o mundo observou queda na taxa de mortes, o Brasil continuou a ver os números crescerem.

“Isso não é apenas sobre o Brasil. Mas sobre a região e todos os demais”, alertou Tedros. “Se o Brasil não agir de forma séria, vai continuar a afetar toda a vizinhança e demais países”, disse, sem oferecer nenhuma solução efetiva para o enfrentamento do vírus chinês.

A OMS disse estar preocupada com uma nova variante do vírus está circulação do Brasil. “Entender a dinâmica é importante para o resto do mundo. Precisamos entender de forma completa a transmissão ocorrendo no Brasil para saber a implicação disso tudo, tanto para a vacina como para medidas de controle. Estamos preocupados com a variante P1”, disse Mike Ryan, diretor de operações da OMS.

Colunistas

Juliana GurgelJuliana Gurgel

Católica, produtora, doutora em artes da cena, professora e aikidoista.

Paulo FernandoPaulo Fernando

Advogado, professor de Direito Constitucional e Eleitoral para concu...

Polibio BragaPolibio Braga

Políbio Braga é um jornalista e escritor brasileiro. Nascido em S...

Achou algum erro na matéria? Nos informe através do formulário abaixo: