fbpx

ONU diz que pandemia fez número de famintos dobrar no mundo



Relatório divulgado pelo programa mundial de alimentos da ONU aponta que o número de famintos no mundo dobrou durante a pandemia do vírus chinês. Se nada for feito, 265 milhões de pessoas não terão o que comer até o final do ano.

Ainda conforme os dados, milhões de pessoas na República Democrática do Congo, na região nordeste da Nigéria, no Sudão do Sul, assim como no Iêmen, enfrentam o risco de desnutrição.

Durante discurso de abertura na Assembleia-Geral, o secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, listou o que agrava a situação da fome.

De acordo com ele, 66% da população que está em crise alimentar, em todo o mundo, vive no Iêmen, República Democrática do Congo, Afeganistão, Venezuela, Etiópia, Sudão do Sul, Síria, Sudão, Nigéria ou Haiti. São 88 milhões de pessoas que, além da miséria, vivem em meio a conflitos armados ou instabilidade política.

Com informações da CNN

A notícia foi pauta no Boletim da Manhã desta segunda-feira (28):

Colunistas

Juliana GurgelJuliana Gurgel

Católica, produtora, doutora em artes da cena, professora e aikidoista.

Paulo FernandoPaulo Fernando

Advogado, professor de Direito Constitucional e Eleitoral para concu...

Polibio BragaPolibio Braga

Políbio Braga é um jornalista e escritor brasileiro. Nascido em S...