fbpx

Prefeituras liberam retorno de festas, mas proíbem volta às aulas em SP



A reabertura das unidades de ensino infantil ao superior está autorizada desde quarta-feira (7) pelo Estado de São Paulo.

Apesar da autorização dada às escolas, prevista no plano de flexibilização do isolamento, cada município tem autonomia para decidir se libera ou não o ensino presencial.

Segundo balanço da secretaria estadual da Educação, no primeiro dia de liberação das aulas presenciais nas escolas, 17% das mais de 5 mil escolas estaduais estavam abertas.

O curioso, no entanto, é que nas mesmas cidades paulistas onde as prefeituras proibiram o retorno às aulas, foram liberados eventos em buffets e salões de festa.

O critério para a autorização de eventos sociais é o Plano SP de Doria, que estabelece que a região esteja há 28 dias consecutivos na denominada “fase amarela”.

Para a retomada às aulas, os municípios têm se baseado em pesquisas entre pais de alunos. Em Ribeirão Preto, por exemplo, a volta às aulas é reprovada por 80% dos pais.

A mesma cidade, no entanto, liberou ainda em setembro a realização de eventos sociais em buffets (inclusive infantis) e salões de festa, além de espaços públicos alugados ou terceirizados.

A medida, segundo o governo municipal, está de acordo com as regras da fase amarela do Plano São Paulo. Não há registros de nenhuma pesquisa pública entre os moradores sobre a aprovação deste retorno.

Além disso, crianças também podem frequentar locais como comércio, bares e restaurantes e também parques aquáticos.

A notícia foi assunto no Boletim da Noite desta quinta-feira (8):

Colunistas

Juliana GurgelJuliana Gurgel

Católica, produtora, doutora em artes da cena, professora e aikidoista.

Paulo FernandoPaulo Fernando

Advogado, professor de Direito Constitucional e Eleitoral para concu...

Polibio BragaPolibio Braga

Políbio Braga é um jornalista e escritor brasileiro. Nascido em S...