fbpx

Putin admite que Rússia atravessa problemas econômicos



O presidente russo, Vladimir Putin, admitiu esta quinta-feira (20/6) em rede nacional de televisão, que as condições de vida no país pioraram nos últimos anos e sublinhou o trabalho do governo para reverter a situação.

Putin prometeu “aumentar o nível de vida” da população, com aumento de salários ainda este ano e solução de problemas urgentes como a saúde publica. As afirmações foram feitas durante a transmissão anual que ele faz com os cidadãos.

“O rendimento real dos cidadãos está em declínio há vários anos. A maior queda foi em 2016. Agora os rendimentos estão gradualmente a recuperar”, disse.

Ele não acredita que as tensões entre Moscou e Washington diminuam, mas declarou que está disposto a reunir-se com o presidente americano, Donald Trump.

“O diálogo é sempre bom e há sempre necessidade de diálogo. Claro que se o lado americano mostrar interesse… Estamos prontos para um diálogo, desde que os nossos parceiros americanos também estejam prontos”, afirmou.

“Porque é que os salários e a qualidade de vida são tão baixos? Porque é que a Rússia precisa de isolar a rede de internet? Como aliviar a pressão sobre as empresas? O presidente é um extraterrestre?”, alfinetou a imprensa.

O programa Linha Direta com Presidente durou mais de 4 horas e tratou principalmente de problemas internos do país.

Para ele, o aumento da produtividade é uma questão chave.

 * Com informações de Euronews

Sobre o Colunista

Ricardo Roveran

Estudante de artes, filosofia e ciências. Jornalista, crítico de arte e escritor. Escrevo por amor e nas horas vagas salvo o mundo.

Twitter: @RicardoRoveran

15 Comentários

Clique aqui para comentar

  • Óbvio. Gastou o que não tinha com abrigos nucleares, agora que o bicho pegou vão forçar a 3° guerra mundial através da Venezuela ou Irã.

  • Putin é um homem raivoso e vingativo! Tem mágoas do Ocidente, pela derrubada da União Soviética. Ao invés de cuidar da Rússia, quer cuidar do mundo e seus conflitos . Quer vingar – se do Ocidente, implantando uma União Soviética na América Latina. Enquanto ele orquestra destruir aqui, seu país auto destrói – se pela omissão de seu líder doentio. Putin precisa – se curar primeiro, se quiser fazer a mãe Rússia grande. Ela é resultado de sua omissão. Um líder adolescente e aventureiro é Putin. Para ele o mundo é um game, e segue jogando inconsequentemente.

  • O cara é considerado um dos homens mais ricos do mundo e o país está passando por uma crise… Russia vai ser a próxima a passar por uma limpeza.

  • Primeiro a Rússia, depois a China. Até a metade deste século comunismo não existirá mais. Se vai surgir uma coisa pior eu não sei. Mais países que pensam que podem controlar tudo e todos vão se autodestruir. Espero que não seja em guerra desta vez, como sempre acontece.

  • Ele descobriu isso agora? faz 5 anos que que eles tem problemas, uma moeda que vale menos que o peso argentino, uma fuga de capital de 50% no primeiro qdo invadiram a Ucrânia e roubaram a Crimea, 40% dos produtos de consumo são importados. A Rússia não tem uma economia, tem um negócio de petróleo que paga praticamente tudo.

  • Galera confunde Rússia atual com a da época Soviética.
    Putin é reacionário.
    Ele é o maior executivo do capitalismo russo atual. É um eurasiano, nunca desejou um mundo comunista, e sim um capitalismo desvencilhado do iluminismo e da filosofia ocidental.
    Boa noite.

    O dito “socialismo” que pregam ao Putin, não é necessariamente o socialismo baseado na coletivização dos meios de produção e na posse da mais valia pelo proletariado. Eles encaram o trabalhismo, o distributivismo como alternativas ao liberalismo ocidental. Me parece que o socialismo que eles defendem é muito mais uma reação romântica e aristocrática ao capitalismo liberal (uma expressão do irracionalismo moderno, conforme Lukács aponta) do que uma suposta via para a emancipação humana (como é defendida no socialismo marxista).
    Inclusive, tem um texto do Dugin ,(mentor intelectual do Putin), onde ele afirma que após a “vitória sobre o imperialismo ocidental liberal”, os dissidentes deveriam, junto aos fascistas, exterminarem os comunistas e seu “decadente materialismo”.
    Portanto o Putin é contrário ao comunismo, ao liberalismo americano imperialista, e também ao fascismo e ao nacional socialismo.
    Só ver, por exemplo, que grande parte da crítica que ele prega é nietzschiana (que o liberal é um ser vulgar, que não tem a nobreza dos antigos aristocratas).
    Ele rejeita toda a filosofia progressista (de Rousseau e Locke até Kant e Hegel) e se liga a filosofia reacionária (Julius Evola, Alain de Benoist, Heidegger, Schopenhauer, e afins).

    Quer dizer, se você tem uma leitura materialista e marxista da realidade da Rússia atual, e do Putin, isso é visto como um completo absurdo.
    Porque Olavo de Carvalho é maluco e acha que qualquer pessoa que se oponha ao liberalismo americano é um comunista, essa ideia se espalhou como pólvora.
    Putin defende todo e qualquer governo que se oponha ao interesse estadunidense (China, Coreia do Norte, Síria, Líbia, Irã, Venezuela, Turquia, e afins).
    O foco agora é desmantelar o liberalismo americano.
    O que Putin pretende estabelecer depois, se chama Quarta Via, ou Quarta Teoria Política, de autoria do Aleksander Dugin. E sinceramente acredito que vão ter total sucesso.
    “Mas o inimigo continua o mesmo, pelo menos”
    O inimigo do comunismo é o capitalismo, o inimigo da QTP é a ideologia liberal econômica e filosófica ocidental, então não, o inimigo não é o mesmo…
    sim, Putin e Dugin são reacionários, o governo Putin é um governo conservador, nacionalista romântico e oligarquista.
    Dugin tbm por conta dos motivos ja explicados
    #[email protected]ò-Pia.

    Ah sim, a filosofia que guia o marxismo é o materialismo dialético, alega que age utilizando a analise materialista histórica e dialética até compreender a raiz material das condições e necessidades que levaram ao surgimento, desenvolvimento e mantimento das religiões e ideias imateriais, prega que não há razões para acreditar na imaterialidade…
    Contudo, Putin é um cristão ortodoxo, e Dugin também.
    Portanto…

  • MAURICIO VIEIRA DE ANDRADE
    21 de junho de 2019 às 22:18
    Ele descobriu isso agora? faz 5 anos que que eles tem problemas, uma moeda que vale menos que o peso argentino, uma fuga de capital de 50% no primeiro qdo invadiram a Ucrânia e roubaram a Crimea, 40% dos produtos de consumo são importados. A Rússia não tem uma economia, tem um negócio de petróleo que paga praticamente tudo.

    Está pagando a conta pela invasão da Criméia !

  • O Edson escreveu: “Putin defende todo e qualquer governo que se oponha ao interesse estadunidense (China, Coreia do Norte, Síria, Líbia, Irã, Venezuela, Turquia, e afins).
    O foco agora é desmantelar o liberalismo americano.
    O que Putin pretende estabelecer depois, se chama Quarta Via, ou Quarta Teoria Política, de autoria do Aleksander Dugin. E sinceramente acredito que vão ter total sucesso.” Meu Deus…sem comentários!!!!!!!!!!

  • A Rússia desde a época Imperial 1700 até 1917, nunca foi rica.
    União soviética, 1922 até 1991, nunca foi rica.
    Federação Russa, 1991 até os dias de hoje, mesma coisa, pobre.

  • Respondendo os 3 mosquitinhos:

    A Rússia é pobre? Aonde, cara pálida? O pais com maior extensão territorial do planeta não tem como ser pobre, na verdade, é a nação profética d’Ele, nosso senhor Deus.
    A economia russa adolescente fora-da-idade, é altamente industrial, produz equipamentos na aérea militar, aeroespacial, naval, enfim, o leque de empresas russas é enorme, tem superioridade aerea, aeroespacial e de alta qualidade. Mas enfim, na opinião de vocês a única régua é quanto de dinheiro um indivíduo possui no banco, né?
    Ainda sobre a quarta teoria política, ela demonstra como a ideologia nascida da filosofia liberal é torpe, monotonica e nefasta, pois seu objetivo é a completa dissolução da pessoa humana até este ser se tornar um não-ser, pós-humano, atomizado, um protótipo de ciborgue pós moderno atualizado na esteira da inteligência artificial, do big data, da última revolução industrial que irá tornar o ser humano, e nossa pessoa humana, totalmente obsoletos e descartáveis.
    Agradeçam que alguém esteja pensando fora da caixinha, pois as linhas gerais que o.mundo segue a passos largos para um modelo pós moderno atualizado, pós imperialista, é nada menos que o famigerado globalismo, o último estágio antes do fim da história.

  • A civilização ocidental deve perecer:

    Nos últimos anos, temos visto o crescimento de um discurso direitista raso e superficial sobre salvar ou proteger uma certa “civilização ocidental”. Esse discurso tem proliferado bastante nas redes sociais, onde se multiplicam páginas e páginas e páginas, associando conceitos como “tradicionalismo”, “revolta contra o mundo moderno”, e outros do mesmo tipo.

    Os arautos de semelhante defesa da “civilização ocidental” são figuras nefastas, deletérias e suspeitas.
    Páginas infanto-juvenis, brasileiras e estrangeiras (repletas de imagens de “loiras em campos de trigo” e cavaleiros medievais, mas sem qualquer tipo de conteúdo relevante, papagaiando sobre “Ocidente”, “civilização ocidental” e “cultura ocidental”)… Bocejo.
    Vamos tratar de enterrar essas besteiras!

    O Ocidente que esses personagens defendem tem pouco mais de 200 anos. A civilização ocidental é uma construção que emerge a partir da decadência da civilização europeia nos primórdios da modernidade. Ela é, portanto, algo que já nasce na modernidade e está indissociavelmente ligada à modernidade, com tudo que ela tem de problemático.
    Não por acaso, as concepções de política, economia, moral, ética, estética dos “salvadores da civilização ocidental” são fundamentalmente vitorianas, recentíssimas. A arte que agrada a eles, por exemplo, são regurgitações oitocentistas de temas e arquétipos medievais ou clássicos. E, por isso, não há mais que um conservadorismo raso nesses clamores por defender a “civilização ocidental”.

    Para colocar as coisas da maneira mais clara possível: Platão, Dante e Michelangelo não tem absolutamente nada a ver com qualquer “civilização ocidental” moderna. Eles são baluartes de algo muito mais específico, que é a civilização europeia, a qual, segundo a quase totalidade dos pensadores anti-modernos e dissidentes (que às vezes esses “salvadores” citam, mas, na realidade, nunca os leram), jaz adormecida e moribunda, enquanto, no seu lugar, sobre o seu corpo, impera a civilização ocidental, corrompendo o mundo inteiro com seus tentáculos. Para esses autores, o objetivo é resgatar a civilização europeia (no caso, quando os autores em questão são europeus) através da destruição da civilização ocidental.

    Mesmo do ponto de vista simbólico, trata-se de já é algo que deveria ser muito claro: O Ocidente é a terra do poente. E a terra do poente se encontra nos Estados Unidos da América. O coração e centro do Ocidente, a terra que porta o desenvolvimento histórico essencial dessa civilização, são os Estados Unidos da América. É por isso que não se deve que rir quando políticos, empresários e artistas afirmam que os “valores ocidentais” são capitalismo, democracia, liberdade religiosa, etc. São esses, realmente, os “valores” da civilização ocidental, da civilização que nasce a partir da decadência europeia e que foi levada à hegemonia mundial pelos Estados Unidos da América.

    Por isso, não pode haver qualquer tipo de “tradicionalismo”, ou qualquer reflexão associada ao conceito de “tradição”, que possa se misturar ao conceito de “civilização ocidental” ou a qualquer discurso sobre salvar, proteger e defender a “civilização ocidental”. Ao contrário. A civilização ocidental é um câncer que se alastrou pelo planeta e almeja subjugar, absorver e padronizar todas as outras civilizações e culturas. A civilização europeia foi sua primeira vítima e, ao longo dos últimos 250 anos, muitas outras civilizações já caíram sob seu jugo ou até mesmo foram apagadas da existência. A maioria desses arautos, que falam em “salvar a civilização ocidental”, sabem disso. Eles, efetivamente, defendem os mesmos valores que os políticos, empresários e artistas da moda defendem, apenas com algumas variações.

    Para finalizar, não custa reafirmar a obviedade de que o Brasil não é, nunca foi e nem nunca poderia ser parte dessa “civilização ocidental”, apesar de, infelizmente há bastante tempo já estar subjugado a ela, influenciado e corrompido por ela. Nossas matrizes são as civilizações do Velho Mundo e do Novo Mundo que precedem a “civilização ocidental” em séculos e que foram praticamente destruídas por ela. Não somos ocidentais. Não queremos ser ocidentais. O Ocidente é decadente em sua própria essência e arrastará consigo, para o abismo, toda e qualquer outra civilização que permaneça sob seu controle.

Colunistas

avatar for Juliana GurgelJuliana Gurgel

Católica, produtora, doutora em artes da cena, professora e aikidoista.

avatar for Paulo FernandoPaulo Fernando

Advogado, professor de Direito Constitucional e Eleitoral para concu...

avatar for Polibio BragaPolibio Braga

Políbio Braga é um jornalista e escritor brasileiro. Nascido em S...

Achou algum erro na matéria? Nos informe através do formulário abaixo: