fbpx

Relator da tributária quer agradar a todos

Nelson Rodrigues


 

O relatório com o parecer preliminar divulgado pelo deputado federal Celso Sabino (PSDB-PA) gerou apreensão de governadores e prefeitos. Com a eventual possiblidade de redução dos repasses financeiros a estados e municípios, o relator pretende assegurar uma garantia contra as perdas.

Como a proposta altera dos atuais 15% para 5% em 2022 e 2,5% em 2023 a alíquota do Imposto de Renda Pessoa Jurídica (IRPJ), por óbvio que toda estrutura administrativa dos estados e municípios precisará ser revisada.

Não se faz reforma tributária que não atinja o pacto federativo, que não tenha redução da carga tributária e sem a implementação de medidas de racionalização de gastos, tanto do governo federal quanto de seus entes. O contrário é enganar o contribuinte.

É impossível uma alquimia de reforma para manter gastos exorbitantes de uma máquina pública que inviabiliza a competitividade do país, inibe investimentos e aprofunda os déficits das contas públicas.

Dessa forma, teremos sempre que manter juros internos altos para amortização e rolagem da dívida pública e controle da inflação.

Como o ditado antigo sentencia: quem quer agradar a todos não agrada ninguém.

Sobre o Colunista

Carlos Dias

Analista político. Especialista em Política e Estratégia pela Associação dos Diplomados da Escola Superior de Guerra. Escritor, Jornalista e Filósofo independente. Membro Honorário da Academia Brasileira de Filosofia. Membro do Centro Brasileiro de Estudos Estratégicos - CEBRES.

Comente

Clique aqui para comentar

Colunistas

avatar for Juliana GurgelJuliana Gurgel

Católica, produtora, doutora em artes da cena, professora e aikidoista.

avatar for Paulo FernandoPaulo Fernando

Advogado, professor de Direito Constitucional e Eleitoral para concu...

avatar for Polibio BragaPolibio Braga

Políbio Braga é um jornalista e escritor brasileiro. Nascido em S...

Achou algum erro na matéria? Nos informe através do formulário abaixo: