fbpx

Renan Calheiros divulga lista de investigados da CPI da Pandemia

Pedro França/Agência Senado


O senador Renan Calheiros (MDB-AL), relator da CPI da Pandemia, apresentou nesta sexta-feira (18) a lista com nomes de 14 investigados pela Comissão.

Entre os nomes presentes no relatório estão o do ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, e dos ex-ministros, Eduardo Pazuello, da Saúde e Ernesto Araújo, das Relações Exteriores.

Os cidadãos que inicialmente eram testemunhas passam agora a ser investigados.

Em entrevista coletiva, Renan Calheiros, que é investigado por corrupção, disse que o critério para a escolha dos investigados foi o fato “de eles já terem prestado depoimento à CPI”. Seis dos nomes da lista, no entanto, ainda não prestaram depoimentos.

Segundo o relator da CPI, a mudança de testemunha para investigado traz a suposta segurança jurídica.

“A partir da declaração dessa condição de investigado, ele passa a ter acesso a informações e acesso às provas e indícios que estão sendo juntados na investigação”, disse Calheiros.

Quando uma pessoa passa a ser investigada, a CPI tem o poder de aprovar quebra de sigilos e ainda pode determinar operações de busca e apreensão em endereços ligados a eles.

Também passam a ser investigados os médicos Mayra Pinheiro, Nise Yamaguchi, Luciano Dias Azevedo e Paolo Zanotto; o empresário Carlos Wizard; o ex-secretário de Comunicação da Presidência da República, Fabio Wajngarten; o ex-assessor especial da Presidência da República, Arthur Weintraub; a coordenadora do Programa Nacional de Imunização, Francieli Fantinato; o ex-secretário executivo do Ministério da Saúde, Elcio Franco; o secretário do Ministério da Saúde, Hélio Angotti Neto e o ex-secretário de Saúde do Amazonas, Marcellus Campêlo.

De acordo com a assessoria de imprensa do Senado, os nomes são dos integrantes do suposto “gabinete paralelo”, teoria criada por senadores de oposição que compõem a CPI da Pandemia.

Senador do PT condenado por improbidade na Saúde apresenta ‘PowerPoint’ sobre ‘gabinete paralelo’.

O assunto esteve na pauta do Boletim da Noite dessa sexta-feira (18). O advogado e analista político do Terça Livre Bruno Dornelles lembrou da atuação de senadores de oposição na CPI do Senado Federal.

“Essa CPI não passa de um circo. Inclusive, acredito que a classe política, principalmente aquela que é opositora ao governo Bolsonaro, que está trabalhando principalmente pelo establishment político pertencente a Brasília, ela está conseguindo dar um verdadeiro tiro no pé”, pontuou o analista ao comentar que, apesar dos ataques, muitas narrativas contra o governo Bolsonaro estão sendo desmentidas durante os depoimentos.

“Acredito que essa CPI, depois que terminar, mostrará que os apoiadores do governo Bolsonaro serão maiores”, disse Dornelles.

ASSISTA ÀS ANÁLISES COMPLETAS NO BOLETIM DA NOITE DESSA SEXTA-FEIRA (18):

Colunistas

avatar for Juliana GurgelJuliana Gurgel

Católica, produtora, doutora em artes da cena, professora e aikidoista.

avatar for Paulo FernandoPaulo Fernando

Advogado, professor de Direito Constitucional e Eleitoral para concu...

avatar for Polibio BragaPolibio Braga

Políbio Braga é um jornalista e escritor brasileiro. Nascido em S...

Achou algum erro na matéria? Nos informe através do formulário abaixo: