fbpx

Resolução do Parlamento Europeu afirma que comunismo e nazismo são igualmente maléficos



Uma resolução aprovada pelo Parlamento Europeu em 18 de setembro, coloca comunismo e nazismo no mesmo nível e afirma que os dois são igualmente maléficos.

O texto, sobre a importância da memória europeia para o futuro da Europa, salienta que a Segunda Guerra Mundial foi o resultado imediato do pacto de não-agressão germano-soviético de 23 de agosto de 1939, também conhecido como Pacto Ribbentrop-Molotov.

Recorda que os regimes nazista e comunista são responsáveis por massacres, genocídio, deportações, pela perda de vidas humanas e pela privação da liberdade no século XX, “numa escala nunca vista na história da humanidade” e também relembra o criminoso holocausto provocado pelos nazistas.

Além disso, condena os atos de agressão, os crimes contra a humanidade e as violações em massa dos direitos humanos causados pelo nazismo, comunismo e por outros regimes totalitários.

A resolução também exorta todos os Estados-Membros da UE a avaliarem os crimes e atos de agressão perpetrados pelos regimes comunistas totalitários e pelo regime nazista.

O texto cita a Rússia, país que considera continuar sendo a maior vítima do totalitarismo comunista  e exorta a sociedade russa “a confrontar‑se com o seu trágico passado”.

Em oposição à resolução da UE, o Ministério das Relações Exteriores da Rússia a rotulou como “revisionismo politizado”. A Rússia reclamou que o texto não mencionava o Acordo de Munique de 1938 das potências ocidentais, que levou à invasão da Tchecoslováquia pela Alemanha nazista.

“O Parlamento Europeu marcou mais uma tentativa ultrajante de igualar a Alemanha nazista – o país agressor – e a União Soviética, cujos povos, à custa de enormes sacrifícios, libertaram a Europa do fascismo”, afirmou o Ministério das Relações Exteriores em comunicado.

Já a UE diz estar profundamente preocupada “com os esforços envidados pela atual liderança russa para distorcer os fatos históricos e para ‘branquear’ os crimes cometidos pelo regime totalitário soviético”.

Se preocupa ainda com o uso de símbolos de regimes totalitários, pois em espaços públicos de alguns Estados-Membros e locais como parques, praças e ruas, permanecem monumentos que glorificam os caminhos totalitários, o que, segundo o parlamento, “abre caminho à distorção de fatos históricos sobre as consequências da Segunda Guerra Mundial e à propagação do sistema político totalitário”.

Partidos comunistas reclamam

Para os partidos de esquerda, a resolução falsifica a história, criminaliza o comunismo e distorce as coisas quando diz que URSS e Alemanha nazista foram responsáveis pela Segunda Guerra Mundial. Na visão deles, a URSS foi a principal vítima da guerra.

De acordo com o Partido Comunista Português (PCP), “o texto aprovado promove as mais reacionárias concepções e falsificações da história contemporânea, numa deplorável tentativa de equiparar fascismo e comunismo, minimizando e justificando os crimes do nazi-fascismo e silenciando as coniventes responsabilidades das grandes potências capitalistas, como o Reino Unido ou a França, que abriram caminho ao início da Segunda Guerra Mundial”.

O PCP também diz que a UE centraliza a comparação entre nazismo e comunismo, no contexto do Pacto Ribbentrop-Molotov e que “omite importantes comportamentos de tolerância, cumplicidade e alinhamento das grandes potências capitalistas com a ascensão do fascismo em vários países europeus, motivados pelo combate ao ideal comunista e às enormes realizações e conquistas econômicas e sociais alcançadas pelos trabalhadores e os povos da URSS”.

Outra reclamação do partido é que a resolução pretende abrir caminho para a perseguição e proibição de partidos comunistas e que por ser anti-comunista é igualmente anti-democrática.

E finalizam uma nota publicada no portal do partido dizendo:

“Os deputados do PCP no Parlamento Europeu denunciam esta grave tentativa de falsificação histórica e manifestação anti-comunista, que na sua essência é igualmente anti-democrática” e dizem que “ao mesmo tempo, reafirmam que não permitirão o branqueamento do fascismo e a criminalização dos ideais e dos projetos comunistas”.

Sobre o Colunista

Bruna de Pieri

Bruna de Pieri

Jornalista e católica.

37 Comentários

Clique aqui para comentar

  • Resolução bem condizente ao nível do parlamento europeu: uma nota rasa, simplória, mas bem adequada à ignorância reinante. Não há como comparar Nacional-Socialismo (NS) com Comunismo. O NS ARMOU a população alemã! O NS nunca restringiu a ida e vinda dos alemães; estes podiam viajar livremente, mas é óbvio que eram presos nos países dos mocinhos… O NS valorizou elevou a família ao mais alto patamar dos valores sociais, bem ao contrário do comunismo que assassinou padres, estuprou freiras e destruiu igrejas por onde passou. O NS se libertou das ALTAS FINANÇAS e procurou praticar o comércio internacional na saudável base do ESCAMBO, sem dolarização da economia… O NS valorizou a juventude, aproximou-a da natureza. O NS protegeu os animais, combateu o vício da tabagismo, sem proibições, mas apenas conscientizando a população dos malefícios do tabaco. E muito mais que não cabe aqui… Mas é claro que a burrice atual, onde a narrativa histórica coincide (que coisa!!) com a versão da Rede Globo…, encontra solo fértil…
    Um dia o gado desperta, não é mesmo?

  • Acho que é por isso que os Esquerdalhas comparam Bolsonaro ao Hitler, enquanto os Bolsomínions comparam Lula com ditadores de Esquerda. 😉 KKKKKKKKKKKKKKKKK! 😀

  • Facismo-comunismo-socialismo-marxismo e tudo farinha podre do mesmo saco, são cânceres que a sociedade tem que extirpar!

  • Depois dos discursos do Bolsonaro e Trump denunciando o socialismo, é muito bem vinda essa decisão do Parlamento Europeu. Falta a América Latina também reconhecer o mal do Comunismo.

  • Olavo de Carvalho foi bem claro: “Não é suficiente lutar contra o Comunismo, é preciso erradica-lo” e o primeiro passo seria criminalizar o Comunismo com todas as letras.

    Depois da criminalização global do Comunismo, a consequência seria a readequação da História de acordo com a realidade e não de acordo com os patrocínios da ideologia progressista.

    É possível, tolerável e saudável existir uma Esquerda política que promova políticas sociais e discordâncias mas não é mais tolerável para o mundo aceitar a coexistência com ditaduras Comunistas, que patrocinam todo tipo de terror em países democráticos.

  • A URSS de Stálin foi quem financiou, construiu (em solo soviético inclusive) a maior parte do arsenal bélico usado pela Alemanha do Nacional Socialismo e isto ficou provado por documentos mostrados no livro “Stalin’s War” e “O Diabo na História”.

    Mas o problema não é reconhecer comunismo como maléfico e sim usar as mesmas práticas e táticas que Hitler, Mussolini e Stalin sob nomes “floreados” como: “Progressismo”, “ambientalismo”, “globalismo”, “social democracia” e etc. Todos levam ao mesmo fim: Controle total do Estado sobre a vida do cidadão e suas liberdades civis.

    @AntonioHCardos1

  • O mi-mi-mi da esquerda mundial esquece que o benchmark para os campos de concentração foram justamente os Gulags soviéticos criados ainda em 1930. Foi Stalin que ensinou Hitler a “fina arte” do encarceramento em massa e do genocídio.

  • Concordo plenamente com o comentário de Luís Braga (16h…), dizendo que HOUVE MAIOR DESTAQUE AOS POSICIONAMENTOS DOS PARTIDOS COMUNISTAS NO TEXTO DA MATÉRIA!
    NÃO HAVENDO QUALQUER INSERÇÃO DE POSICIONAMENTOS FAVORÁVEIS AO ENTENDIMENTO ADOTADO PELO PARLAMENTO EUROPEU, NESSE CASO.

    NEM QUALQUER MENÇÃO CONSISTENTE SOBRE ESSES FATOS HISTÓRICOS, ATÉ PARA TRAZER À LUZ, QUESTÕES DEIXADAS DE LADO PELO PRÓPRIO PARLAMENTO EUROPEU!

    CREIO QUE ESSE ASSUNTO, PELA IMPORTÂNCIA DECISIVA PARA O FUTURO DE TODAS AS NAÇÕES, MEREÇA SER TRATADO COM MAIOR PROFUNDIDADE E DESTAQUE POR VOCÊS EM OUTRAS OPORTUNIDADES!
    GRATA

  • É. Concordo mais com os comentários de que com a Bruninha até. Exceção à Maria, fanfarrona contumaz; a trazer colocações levianas e funcionar como um contraditório inocente a reforçar valores democráticos de não unanimidade/pluralismo saudável quanto aos indivíduos. Muito embora no caso falte sagacidade.

  • HAahahha, que maravilha ver esses vermes comunistas e seu exército de MaconhAsnos serem caçados pelo mundo, bando de trouxas ninguém mais suporta vocês, cambada de falidos.

  • Iluminem- me e corrijam minha ignorância mas… Não foram as pessoas das mesmas famílias que patrocinaram os dois lados da guerra??? A quem interessa tanta balbúrdia sobre lados diferentes de regimes parecidos??? Preciso ler mais ..

  • Muito interessante . Se você tentar aprender com erros do passado , você é acusado de revisionista. Houve uma época em que Hitler e Stalin eram uma coisa só. Pegaram a Polônia e dividiram entre os dois , assim como dois comensais dividem um frango sobre a mesa. Isto é convenientemente esquecido pela esquerdalha . E o partido do Hitler tinha um sonoro ” socialismo ” no título.
    Stalin tinha muitos adjetivos que definiam bem aquela figura abjeta , mas não era burro. Contava com a Alemanha se desgastando numa luta contra a Inglaterra e França, enquanto a Russia se armava para chegar no fim e dominar a Europa. Mas Hitler tinha planos diferentes. Ele sabia que a Russia era muito fraca militarmente , e seu ataque aos russos foi feito no momento mais oportuno. Poderiam ter dominado, se o Hitler não tivesse dado pitacos na estratégia militar , pois ele não admitia recuos táticos.
    Ser comunista ainda será considerada uma doença mental com internação em hospício e tratamento com fármacos . Estes remédios não precisam ser inventados pois já existem hoje . É um comprimido de Prosac e um bastão de beisebol . Um dos dois certamente cura o comunista mais fanático.

  • Como foi dito em comentário anterior, o texto se preocupa mais com o protesto de comunistas do que com a importância da Resolução, querer negar que o comunismo é tão nefasto quanto o Nazismo é fechar os olhos para um verdade absoluta, sendo que de diferentes só têm mesmo os nomes, mas na essência são a mesma coisa, são a mesma coisa que as duas faces de uma mesma moeda.

  • “Se preocupa ainda com o uso de símbolos…”. Bruna, com todo o respeito, não se começa uma frase com pronome oblíquo átono. O correto é “preocupa-se”. É um erro básico e muito difundido nas redes sociais, por isso muita gente acha que profissionais da escrita estão autorizados a cometê-lo. O Allan sempre adverte as pessoas para esse tipo de erro, então fiquei chocado em encontrá-lo no TL. Como sei que as pessoas não costumam aceitar bem esse tipo de correção, desde já desculpo-me por precisar fazê-lo. Grande abraço e sucesso. Salve Maria!

  • Meus amigos, não há mal que sempre dure. Homenagem aos mártires dessa seita maldita, como foram meus pais, Yolanda e Estácio!!! Vivi pra ver!!!
    Compartilho com emoção essa vitória imensurável da sociedade cristã!!!!!!!!!
    Venham conferir, amigos. Obrigada Terça Livre. Um dia eu conto essa ocorrência cruel que se passou aqui, no Pantanal sul matogrossense, na fronteira do Brasil com a Bolívia e é um testemunho de quem sofreu a História do Brasil. Amo vocês.
    Excelente dia a vocês!!!

  • Quem ainda acha o comunismo bom e que a URSS foi vítima da 2ª Guerra, recomendo ler o livro “Comunista Exposto” e assistir qualquer documentário no Youtube sobre Holodomor.

  • É evidente a malícia e desonestidade da esquerda. A expressão “Eixo do Mal”, que descrevia a aliança entre Alemanha (nazista), União Soviética (comunista), Itália (fascista) e Japão (fascista), não foi criada à toa. E eles ainda têm a audácia de dizer que os outros é que estão tentando mudar a história.

  • Existe um livro chamado “O Grande Culpado”, de Viktor Suvorov, que demonstra como a segunda guerra foi uma criação da URSS e de Stálin. Enquanto o exército nazista estava na França, Stálin colocou 155 divisões de blindados próxima a fronteira com a Alemanha para invadí-la. Hitler percebeu a jogada e atacou primeiro. Este é o motivo do “mistério” de Hitler ter aberto duas frentes na guerra, o que, na prática, é suicídio. Quando os nazistas perceberam que foram enganados, era tarde demais. E quem escreve a história é o vencedor…

  • Muita mídia para este PCP…precisa mais esclarecimentos e apoio da parte da condenação ao comunismo. A roupagem nova do socialismo é o ambientalismo.

  • Destes regimes políticos, no Brasil, de verdade só o comunismo tem dado às caras. E não explicam o fato de que as eleições deixam de existir em nações de regime comunista. Que gente sonsa…

  • Surpreende alguém que os pais das ideologias ditatoriais (socialismo/comunismo, nazismo ou fascismo) sejam os mesmos?
    Já agora, porque não se referiu o Parlamento Europeu à mais execrável de todas as ditaduras, o islamismo? Só porque é exercida em nome do (pagão) alá [e seu (falso) profeta]? Ou porque não convém antagonizar os maometanos donos do petróleo? Ou… porque desconhecem a História?

  • Por outro lado, o PCP omite importantes comportamentos de tolerância, cumplicidade e alinhamento das grandes potências capitalistas com a ascensão do comunismo. Desde os países que abrigaram Marx, sobretudo o Reino Unido, até à Suiça que acalentou Lenin, à Alemanha, que lhe facultou a passagem na célebre carruagem selada em Abril de 1917. Para não falar na tolerância, e em muitos casos cumplicidade, “das grandes potências capitalistas” e de boa parte dos seus intelectuais para com os inúmeros e inomináveis crimes do comunismo.

  • Comunismo … Nazismo … Nomes diferentes … Rostos diferentes para o mesmo propósito: Os regimes totalitários.

  • Pelo menos a decisão é coerente, pois se você é contra o totalitarismo, seja contra todos os tipos. Não tem coerência em condenar o totalitarismo do Terceiro Reich e da Itália, e tolerar o totalitarismo Soviético.

  • Este tema não pode cair em esquecimento.
    Já sofremos demais com os ataques que nossa cultura sofreu nos últimos anos, tudo orquestrado pelas cartilhas sociopatas

Colunistas

Juliana GurgelJuliana Gurgel

Católica, produtora, doutora em artes da cena, professora e aikidoista.

Paulo FernandoPaulo Fernando

Advogado, professor de Direito Constitucional e Eleitoral para concu...

Polibio BragaPolibio Braga

Políbio Braga é um jornalista e escritor brasileiro. Nascido em S...