fbpx

Rússia expulsa diplomatas de países que pediram libertação de Navalny



A Rússia expulsou nesta sexta-feira diplomatas de três países membros da União Europeia (UE) que manifestaram apoio aos protestos em favor do opositor do Kremlin, Alexei Navalny.

Foram atingidos com a decisão representantes da Alemanha, Polônia e Suécia, o que provoca uma quebra na tentativa da UE de se aproximar de Moscou, liderada por Josep Borrell, chefe de política externa da União, que estava na Rússia para negociações.

O governo de Vladimir Putin anunciou as expulsões depois que Borrell deu uma entrevista coletiva com o ministro das Relações Exteriores, Sergei Lavrov, para pedir que a Rússia libertasse Navalny imediatamente, afirmou a Agência Reuters.

A chanceler alemã, Angela Merkel, declarou que a medida é injustificada, pois, é uma ação que não estaria na competência do império da lei na Rússia.

Já a Polônia convocou o embaixador russo para discutir a decisão.

Conforme o Terça Livre noticiou, Justiça da Rússia condenou Alexei Navalny a 30 meses de prisão no último dia 02.

O ministro das Relações Exteriores de Putin não respondeu de imediato a declaração do chefe de política externa da UE, no entanto, reclamou do que descreveu como ‘abusos dos direitos humanos’ na União Europeia e chamou o bloco de parceiro ‘não confiável’.

Borrell já havia declarado que o caso Navalny era “um ponto baixo para os laços” com a Rússia.

“Transmiti ao ministro Lavrov nossa profunda preocupação e nosso apelo por sua libertação (de Navalny) e pelo lançamento de uma investigação sobre seu envenenamento”, disse Borrell durante a coletiva.

“Nos últimos anos, nosso relacionamento foi marcado por diferenças fundamentais e falta de confiança.”

Navalny foi preso no dia 17 de janeiro ao voltar para a Rússia, depois de um envenenamento, supostamente provocado pelo Kremlin. No dia seguinte cidadãos de todo o país já marcavam protestos.

Para completar, o representante do Kremlin, disse ainda que caberia a Bruxelas impor sanções à Rússia, mas que a UE poderia se comportar ‘como Washington no uso de sanções unilaterais’.

“Compartilhamos a opinião de que uma nova deterioração dos laços traz consequências negativas e altamente imprevisíveis”, disse Lavrov.

Poucas horas depois das negociações, a Rússia anunciou a expulsão dos diplomatas, dizendo que eles haviam participado de protestos ilegais no mês passado contra a prisão de Navalny. O Ministério das Relações Exteriores russo disse que Moscou considerou as ações inaceitáveis.

Com informações: Agência Reuters.

QUEREM NOS CALAR! Não perca contato com o Terça Livre. Acesse: tercalivre.com.br/juntos.

Assista os nossos Boletins no Facebook:
CLIQUE AQUI PARA ASSISTIR.

Colunistas

Juliana GurgelJuliana Gurgel

Católica, produtora, doutora em artes da cena, professora e aikidoista.

Paulo FernandoPaulo Fernando

Advogado, professor de Direito Constitucional e Eleitoral para concu...

Polibio BragaPolibio Braga

Políbio Braga é um jornalista e escritor brasileiro. Nascido em S...

Achou algum erro na matéria? Nos informe através do formulário abaixo: