fbpx

Soldados da Guarda Nacional permanecerão em Washington até março



Pelo menos 5.000 soldados da Guarda Nacional dos Estados Unidos permanecerão em Washington, DC, até meados de março, confirmou um porta-voz da Agência Nacional ao jornal norte-americano Epoch Times.

“Enquanto continuamos a trabalhar para cumprir os requisitos finais pós-inauguração (posse), a Guarda Nacional foi solicitada a continuar apoiando as agências federais de aplicação da lei com 7.000 membros e reduzirá para 5.000 até meados de março”, disse o major Matt Murphy, via e-mail.

“Estamos prestando assistência, como segurança, comunicações, evacuação médica, logística e suporte de segurança para agências estaduais, distritais e federais”, acrescentou.

O Exército dos EUA não respondeu qual seria o motivo da permanência dos soldados e ainda não se pronunciou sobre a decisão.

Nos dias que antecederam a posse do democrata Joe Biden como presidente dos EUA mais de 26 mil membros da Guarda Nacional foram levados para missão na capital do país.

Os guardas não sofreram incidentes de segurança e apenas três pessoas foram presas em Washington no dia da posse, disseram as agências de notícias.

Até a quinta-feira (21) ainda havia cerca de 10.600 funcionários da Guarda em serviço.

“Algumas agências estão solicitando continuidade das operações, apoio adicional e tempo de recuperação para que suas forças se reagrupem. Estima-se que cerca de 7.000 funcionários da Guarda Nacional forneçam essa assistência até o final do mês”, disse um guarda através de comunicado.

Christopher Rodriguez, oficial de segurança interna do Distrito de Colúmbia, disse também na quinta-feira que a cidade solicitou apoio contínuo da Guarda com gerenciamento de tráfego e controle de multidões até 30 de janeiro “porque prevemos que haverá outro Evento de Segurança Especial Nacional ocorrendo na sessão conjunta do Congresso.”

“O número de soldados necessários ainda está sendo calculado”, disse ele.

Ao menos três governadores  de estados já disseram nesta sexta-feira (22) que solicitam o retorno de suas tropas.

“Eu ordenei o retorno imediato de toda a Guarda Nacional de New Hampshire de Washington DC”, disse o governador de New Hampshire, Chris Sununu, um republicano, em uma publicação em seu perfil do Twitter.

“Eles fizeram um excelente trabalho servindo a capital de nossa nação em uma época de conflito e devem ser graciosamente elogiados, não estando sujeitos a condições abaixo do padrão.”

A declaração foi feita após o governador receber notícias de que suas tropas teriam sido realocadas para estacionamentos sem condições para recebê-los.

O governador da Flórida, Ron DeSantis, também republicano, exigiu a volta de suas tropas para casa.

“Ontem à noite, ordenei ao nosso Adjutor Geral que trouxesse soldados da Guarda Nacional da Flórida para casa”, tuitou DeSantis.

Conforme o Terça Livre noticiou, após o evento de posse, Biden deixou os soldados da Guarda Nacional abrigados em estacionamentos.

“Faz uma semana que meu batalhão está dormindo no chão do refeitório do Senado. Hoje o Senado nos expulsou e nos transferiu para um estacionamento frio. 5000 soldados. Uma tomada elétrica. Um banheiro”, disse uma fonte militar ao jornalista norte-americano Benny Johnson.

A Polícia do Capitólio dos EUA negou ter feito a Guarda deixar o Capitólio dos EUA. Alguns legisladores prometeram “descobrir o que aconteceu.”

The Epoch Times.

Colunistas

Juliana GurgelJuliana Gurgel

Católica, produtora, doutora em artes da cena, professora e aikidoista.

Paulo FernandoPaulo Fernando

Advogado, professor de Direito Constitucional e Eleitoral para concu...

Polibio BragaPolibio Braga

Políbio Braga é um jornalista e escritor brasileiro. Nascido em S...

Achou algum erro na matéria? Nos informe através do formulário abaixo: