fbpx

STF vergonha mundial entra para o trends topics do Twitter



A hashtag #STFVergonhaMundial entrou para o trends topics do Twitter nesta quinta-feira (08), logo após a decisão da Suprema Corte em favor do decreto 65.563/2021 do governador de São Paulo, João Doria, contra as atividades religiosas.

Conforme o Terça Livre noticiou, por 9 votos a 2 os ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) decidiram que as igrejas em São Paulo não podem ser consideradas serviços essenciais para os cidadãos.

Em resposta ao julgamento, milhares de brasileiros têm se manifestado através do Twitter contra a decisão da maioria do STF.

Esta não é a primeira vez que a Corte é alvo de protesto nas redes sociais. Outras decisões, como a soltura de traficantes como André do Rap e do ex-presidente petista Luiz Inácio Lula da Silva, foram alvo de críticas dos brasileiros.

Na decisão de hoje, os juízes da Suprema Corte reiteraram que no Brasil, corruptos e traficantes possuem liberdade, mas os cristãos, não.

“É inadmissível o STF continuar a desrespeitar a Constituição Federal, o STF deveria se chamar, Suprema Constituição Federal, onde um só poder manda e desmanda”, declarou um internauta ao usar a hashtag.

“A situação é grave: PGR, AGU e advogado do Partido, baseados na Constituição Federal, defendendo aplicação da Lei e os ministros que deveriam garanti-la, votando CONTRA! Nossa democracia indo pro espaço”, disse outra cidadã.

Conforme os analistas políticos do Terça Livre já evidenciaram, a decisão da Suprema Corte poderá abrir um precedente jurídico para a perseguição aos cristãos e o fechamento de templos religiosos em todo o Brasil.

Colunistas

avatar for Juliana GurgelJuliana Gurgel

Católica, produtora, doutora em artes da cena, professora e aikidoista.

avatar for Paulo FernandoPaulo Fernando

Advogado, professor de Direito Constitucional e Eleitoral para concu...

avatar for Polibio BragaPolibio Braga

Políbio Braga é um jornalista e escritor brasileiro. Nascido em S...

Achou algum erro na matéria? Nos informe através do formulário abaixo: