fbpx

Suprema Corte impede governador de NY de limitar igrejas

Robert Nickelsberg | Getty Images


A Suprema Corte dos Estados Unidos impediu temporariamente o governador de Nova Iorque, Andrew Cuomo de estabelecer limites de pessoas em locais de cultos religiosos devido à pandemia do vírus chinês. A decisão é desta quarta-feira, 25.

Por 5 votos a 4, a mais alta corte do país ficou do lado da Diocese do Brooklyn e das sinagogas ortodoxas judaicas que processaram o governador Cuomo por causa dos limites impostos pelo estado nas chamadas  “zonas vermelhas” e “laranja”.

Na ação, a diocese alegou que mesmo em uma pandemia, a Constituição não pode ser deixada de lado e esquecida.

“As restrições em questão, ao impedirem efetivamente muitos [fieis] de comparecer aos templos religiosos, atingem o cerne da garantia de liberdade religiosa da Primeira Emenda [da Constituição americana].” Veja a íntegra.

As igrejas argumentaram que as restrições, impostas por Cuomo em 6 de outubro, violavam suas liberdades religiosas. Também disseram-se injustiçados, pois foram submetidos às limitações mais rígidas do que os outros serviços essenciais.

Para derrubar as medidas do governador Cuomo, o voto da mais nova juíza da Corte, Amy Coney Barrett, foi decisivo. Ela foi indicada à Suprema Corte em setembro pelo presidente Donald Trump.

Sobre o Colunista

Bruna de Pieri

Bruna de Pieri

Esposa, jornalista, tupãense e católica. 23 anos.

Comente

Clique aqui para comentar

Colunistas

Juliana GurgelJuliana Gurgel

Católica, produtora, doutora em artes da cena, professora e aikidoista.

Paulo FernandoPaulo Fernando

Advogado, professor de Direito Constitucional e Eleitoral para concu...

Polibio BragaPolibio Braga

Políbio Braga é um jornalista e escritor brasileiro. Nascido em S...

Achou algum erro na matéria? Nos informe através do formulário abaixo: