fbpx

Tucker Carlson questiona efeitos colaterais em vacinados

vacina, jovem, miocardite, Biden,Tucker Carlson,
Stephen Zenner/SOPA Images/LightRocket via Getty Images


Texto de Tucker Carlson – Fox News

Em janeiro, Israel se tornou um dos primeiros países do mundo a administrar a nova vacina contra o coronavírus aos jovens. Na época, o Ministério da educação de Israel disse que a vacina era necessária para que os alunos pudessem fazer os exames pessoalmente. As escolas determinaram a vacina; as crianças tomaram. 

Então o que aconteceu a seguir? Esta semana, descobrimos.  

Autoridades de saúde israelenses divulgaram um relatório mostrando que jovens vacinados, especialmente homens jovens, estavam desenvolvendo uma complicação potencialmente fatal – uma inflamação do coração chamada miocardite – e a desenvolvendo em taxas extremamente altas. 

Os pesquisadores determinaram que a incidência de miocardite em homens jovens vacinados era 25 vezes a taxa normal. Alguns deles morreram. 

No Canadá, pelo menos um oficial de saúde pública observou a mesma coisa. O Dr. Peter Liu é o diretor científico do Instituto do Coração da Universidade de Ottawa e especialista em miocardite. Liu começou a notar inflamação no coração em pacientes que receberam a vacina.  “É mais do que coincidência”, disse ele. 

Na Alemanha, as autoridades concluíram a mesma coisa. O governo alemão acaba de anunciar que jovens devem evitar a vacina, pois é muito perigoso.

Este é um desenvolvimento sério para nós nos Estados Unidos. Se as tendências estatísticas observadas em Israel acontecerem aqui, cerca de 150.000 jovens americanos desenvolverão uma doença cardíaca potencialmente fatal por causa das vacinas contra a COVID.

Isso não é alarmismo ou algum tipo de teoria da conspiração antivacina. É real. 

Ainda esta tarde, o CDC confirmou o que parecem ser efeitos colaterais perigosos. Os dois maiores sistemas de monitoramento de vacinas no país – os Sistemas de Notificação de Eventos Adversos de Vacinas da Administração Biden (conhecido como “VAERS”) e o Projeto Datalink de Segurança de Vacinas do CDC – mostram taxas surpreendentemente altas de miocardite em jovens que foram vacinados. “Claramente temos um desequilíbrio”, anunciou um funcionário do CDC hoje. Desequilíbrio é uma maneira de colocar isso. “Emergência Potencial” é outra maneira. 

Dados esses números, é possível que jovens saudáveis tenham muito mais probabilidade de serem prejudicados pela vacina do que pela própria COVID. Isso seria um desastre. Na verdade, seria a definição de um desastre evitável. Como nossas instituições respondem a esse desenrolar?  Ignorando-os completamente. Na verdade, na última semana, muitas faculdades e universidades americanas anunciaram que exigirão prova de vacinação antes de permitir que os alunos retornem ao campus. Em algumas escolas, a determinação se aplica apenas aos alunos. Por razões que ninguém explicou ou poderia defender, não se aplica a professores e funcionários. Eles não precisam ser vacinados. 

Quanto ao grande número de jovens que já se recuperaram da COVID – e, portanto, provavelmente têm imunidade mais robusta, pelo menos tão robusta quanto poderiam obter com qualquer vacina – eles terão que tomar também. 

São números grandes. Existem cerca de 20 milhões de estudantes universitários neste país. No final, a maioria não terá escolha a não ser tomar uma droga que outros governos concluíram ser perigosa para eles. 

Ontem, o sistema universitário estadual da Virgínia anunciou que será quase impossível obter isenções de vacinas. Uma isenção “não será concedida com base em uma objeção filosófica, moral ou de consciência”. Em outras palavras, sua consciência é irrelevante. 

Autonomia pessoal não significa nada. Não é mais seu corpo, não é mais sua escolha. 

Quando se trata de vacina, não há como escapar.  

Você se pergunta, vendo isso, como isso poderia acontecer em um país livre. É difícil acreditar que isso está acontecendo. Como uma decisão médica, é imprudente. Quais são os efeitos de longo prazo de forçar essas drogas em milhões de jovens, muitos dos quais não precisam. Não sabemos a resposta. Não sabemos quais são os efeitos de longo prazo. Qualquer um que alega saber está mentindo.

Neste ponto não há como saber. Ainda hoje, o painel consultivo da FDA se reuniu para discutir o aumento das emergências cardíacas em jovens saudáveis que foram vacinados. 

Até agora, a taxa de miocardite é mais que o dobro do que as autoridades previram. 

Como disse um professor da Escola de Medicina da Universidade de Tufts que faz parte do painel: “ Antes de começarmos a vacinar milhões de adolescentes e crianças, é muito importante descobrir quais são as consequências”.  

Você pensa que seria importante descobrir. Mas Joe Biden não quer esperar. Biden prometeu vacinação universal, quer precisemos ou não, e ele planeja fazer isso. Aqui está ele na semana passada dizendo para você calar a boca e tomar a vacina.

Joe Biden:

“Sabe, algumas pessoas têm dúvidas sobre a rapidez com que as vacinas foram desenvolvidas. Elas dizem que foram desenvolvidas tão rapidamente que não podem ser tão boas. O resultado final é este –  eu prometo a você: elas são seguras. Elas são seguras. E ainda mais importante, elas são extremamente eficazes”.

Tucker:

Se os números de Israel vierem a ser reais e aplicáveis a este país, essa declaração viverá para sempre como uma das coisas mais destrutivas que um presidente em exercício já disse de um púlpito. Talvez a pior parte é que o governo deveria saber que isso poderia acontecer. 

Os ensaios clínicos da própria Pfizer com a vacina mostram efeitos perturbadores nos jovens. A Pfizer deu as vacinas a um grupo de crianças com idade entre 12 e 15 anos, o restante recebeu placebo. Entre as crianças que receberam apenas a primeira dose da vacina, as taxas de sintomas graves foram maiores, incluindo sintomas consistentes com miocardite. 

Apenas algumas semanas atrás, a FDA aprovou a vacina para crianças de 12 e 15 anos de idade. Agora, o limite de idade pode estar caindo. O New York Times está relatando que os fabricantes de medicamentos, incluindo Pfizer e Moderna, estão se preparando para vacinar crianças de até seis meses de idade, no outono. 

Como uma questão científica, nada disso é necessário. Estudos em revistas médicas de todo o mundo – The Lancet, por exemplo, bem como o Journal of American Medical Association – mostram que a COVID não é uma grande ameaça para as crianças e que os jovens não desempenham um papel significativo na propagação da COVD.

Mas isso não parou a administração Biden.   

Aqui está o conselho pessoal de Joe Biden sobre a COVID, exigindo que todos os estudantes universitários – além de milhões de outras pessoas – fossem vacinados.  

Emanuel: 

Há claramente lugares onde você está reunindo pessoas que deveriam ter mandatos: estudantes em universidades – minhas universidades, por exemplo, professores e funcionários. Estabelecimentos de saúde. Todo profissional de saúde deve ser vacinado. Eu não deveria ter que me preocupar se meu médico ou enfermeira foi vacinado. E eu acho que os empregadores devem levar isso muito a sério e obrigar e exigir que seus funcionários sejam vacinados – especialmente se eles estiverem voltando para o escritório.

Tucker:

Você deve ser vacinado. Ok, qual é o risco? 

Isso diz algo que ninguém em posição de autoridade parece avaliar ou mesmo mencionar o lado negativo da vacinação. Todo medicamento tem efeitos colaterais potenciais, todo medicamento, isso não significa que não os aceitamos. 

Significa que temos o direito de saber exatamente o que essas drogas fazem. Transparência é a essência da ética médica. 

Algumas semanas atrás, citamos números do próprio sistema de relatórios de administração, VAERS, que mostram um grande aumento nas mortes por esta vacina. Mesmo se você acreditar que o sistema VAERS é profundamente falho, e parece ser, é difícil explicar o salto nas fatalidades em termos relativos. 

Entre 1 de julho de 1997 e o final de 2013, quinze anos e meio, houve 2.149 mortes relatadas nos EUA para todas as vacinas combinadas no sistema VARES. Ainda assim, em apenas seis meses, nos últimos seis meses, houve mais de 5.160 mortes associadas à vacina contra a COVID, conforme relatados ao VAERS. Isso é mais do que o dobro das mortes, em menos de um décimo do tempo. 

Se você for forçar as pessoas a tomarem a vacina, você tem uma obrigação moral, uma obrigação moral absoluta, de entender exatamente quais podem ser os efeitos dessa droga e ser honesto sobre quais são. Mas eles não fazem isso. 

Você deve ter notado outro dia que os chefes do NIH e do CDC admitiram que até metade de seus funcionários não foram vacinados. Você pensaria que as pessoas que trabalham no NHI ou no CDC seriam os primeiros da fila. 

No Texas, um grupo de profissionais de saúde – alguns dos pacientes mais informados da América –  estão escoltados com a ideia de vacinas obrigatórias. 

Repórter: 

O hospital Metodista de Houston exige que todos os membros da equipe sejam vacinados contra a COVID-19 ou serão demitidos.  

Jennifer Bridges trabalhou no Houston por mais de seis anos. Ela afirma que o Metodista está forçando seus funcionários a serem cobaias humanas. 

Tucker:

As questões mais básicas das liberdades civis estão em jogo aqui e, em algum ponto, serão resolvidas. Em algum momento, os tribunais decidiram se é legal os adultos americanos tomarem remédios que eles não querem. 

Mas milhões de estudantes universitários não podem se dar ao luxo de esperar por uma decisão judicial. Porque em poucas semanas eles terão que mostrar seus passaportes de vacina ou serão impedidos de ir às escolas.

Sobre o Colunista

Allan Dos Santos

Pai, empresário, jornalista, correspondente internacional, apresentador e cofundador do canal Terça Livre TV.

Comente

Clique aqui para comentar

Colunistas

avatar for Juliana GurgelJuliana Gurgel

Católica, produtora, doutora em artes da cena, professora e aikidoista.

avatar for Paulo FernandoPaulo Fernando

Advogado, professor de Direito Constitucional e Eleitoral para concu...

avatar for Polibio BragaPolibio Braga

Políbio Braga é um jornalista e escritor brasileiro. Nascido em S...

Achou algum erro na matéria? Nos informe através do formulário abaixo: